Notícia

Revista Água e Efluentes online

Domando águas conta história da relação água e solo na capital de SP

Publicado em 03 novembro 2011

Domando águas - salubridade e ocupação na cidade de São Paulo, 1875-1930, livro escrito por Fábio Alexandre dos Santos, que está sendo lançando pela editora Alameda - www.alamedaeditorial.com.br desvenda o processo de ocupação do espaço urbano da cidade de São Paulo ressaltando o desenvolvimento dos serviços e das obras destinadas a oferecer salubridade à cidade.

Como ressaltado na Introdução, 'dominar e disciplinar as águas parece ter sido um desafio recorrente na história da urbanização de São Paulo, em íntima relação com as concepções cientí­ficas então vigentes, provocando complexos efeitos sobre a ocupação e a valorização do solo urbano'.

É importante destacar neste recorrido histórico o momento em que, em 1877, foi criada a Companhia Cantareira e que obrigou a população a instalar infraestrutura para receber a água. Mas, como relata o autor: 'após a encampação da Cia. Cantareira pelo governo do estado e à ineficiência dos serviços, a oferta de água aumentou, mesmo assim não o suficiente para responder à demanda crescente; e muitas vezes sua qualidade era tão ruim que contribuía para o agravamento das péssimas condições de saúde vividas pela população'.

Desta percepção, segundo o autor, 'as águas da cidade gradativamente passaram a ser vistas como elemento sujo, destrutivo e impeditivo do crescimento urbano ' que deveria ser controlado e saneado ' fundamentando as diversas formas de intervenção que as agrediam, por meio de transposições, canalizações, inversões de cursos, etc., ou ainda por meio de despejos residuais'.

E mais adiante ressalta:

'Nessa cidade em ebulição, portanto, à luz da atuação das elites em prol da modernidade e da civilidade, os poderes públicos e os interesses privados empreenderam ações visando ao domínios das águas até onde elas se interpunham aos seus interesses. Este processo revela como as intervenções sobre as águas chegavam até onde convergiam a necessidade de salubridade, a incorporação e valorização da terra urbana e a utilização das águas para geração de energia elétrica'.

Sobre o autor: FÁBIO ALEXANDRE DOS SANTOS é graduado em Ciências Sociais pela Unesp, campus de Araraquara, e mestre e doutor em História Econômica pelo Instituto de Economia da Unicamp. É professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus Osasco, e continua se dedicando ao estudo da história urbana, em especial das águas. Dentre suas publicações está: Rio Claro: uma cidade em transformação. São Paulo - Annablume/Fapesp, 2002.

Livro: Domando águas. Salubridade e ocupação do espaço na cidade de São Paulo, 1875-1930

Autor: Fábio Alexandre dos Santos
Edição: Alameda (11 3012-2400)
Preço: R$ 56,00 (p. 320)
ISBN: 978-85-7939-079-1
Formato: 16 x 23- Brochura- 0,490 kg