Notícia

Jornal da Unesp online

Docente de Rio Preto lança dicionário de expressões

Publicado em 20 agosto 2007

São 3.918 verbetes, 2.549 em Francês e 1.459 em Português

A docente Claudia Xatara, do Departamento de Letras Modernas do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), câmpus de São José do Rio Preto, lança o Dicionário eletrônico de expressões idiomáticas, de acesso livre, no qual lista expressões de uso corrente na França e no Brasil. O trabalho é resultado de seu pós-doutorado realizado, em 2005, na Universidade de Nancy, na França, com financiamento da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

O dicionário, organizado em sistema de hipertexto, apresenta 3.918 expressões idiomáticas, sendo 2.459 em Francês falado na França; e 1.459 em Português do Brasil. O acesso ao material se dá por meio do endereço eletrônico do Centro Nacional de Recursos Textuais e Lexicais, onde a pesquisa foi desenvolvida (http://www.cnrtl.fr/dictionnaires/modernes/).

De acordo com Claudia, o trabalho originou-se do Dicionário de Provérbios, Idiomatismos e Palavrões (PIP), realizado em parceria com a pesquisadora Wanda Leonardo de Oliveira, também do Ibilce, e publicado em 2002. No inventário do PIP constam 1.103 provérbios em Português e seus equivalentes em Francês; 9.000 expressões idiomáticas do Francês e suas similares em Português do Brasil; 3.500 palavrões e expressões erótico-obscenas em Francês e 4.000 brasileiros.

A docente explica que no pós-doutorado o PIP ganhou outro enfoque: "restringi-me aos idiomatismos, ou seja, àquelas locuções de uma língua cuja tradução não faz sentido em outra análoga, e verifiquei as que realmente estão em uso, o que resultou em um número bem menor de expressões", explica.

Para detectar a freqüência dos idiomatismos, a docente pesquisou no Google.fr e no Google.br. "Escolhemos a web porque nela a linguagem coloquial é favorecida", afirma. A boa repercussão alcançada pelo dicionário online resultou em um convite da Editora Cultura para que fizéssemos uma nova edição do PIP, que deve sair ainda neste ano. "Será um novo dicionário, no qual os provérbios, idiomatismos e palavrões serão elencados com critérios de contexto e freqüência", adianta.

Atualmente, a pesquisadora e seus colaboradores estão finalizando os estudos de freqüência dos palavrões. "A urgência para que o dicionário saia é grande. No Brasil existem poucos estudos que fazem o contrate entre as duas línguas, por isso, muitos pesquisadores e professores utilizam o PIP", declara.

 Ligya Aliberti Barbosa da Silva

Bolsista Proex / Portal Universia / Ibilce