Notícia

Revista Brasileira de Risco e Seguro

Doce remédio para a pressão sangüínea

Publicado em 04 julho 2007

Comer um pouco de chocolate todos os dias pode ajudar a baixar a pressão sangüínea, sem ganho de peso, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira (4) pelo Journal of the American Medical Association (Jama).

Pesquisas anteriores haviam indicado que o consumo de grandes quantidades de alimentos contendo cacau poderia diminuir a pressão sangüínea, provavelmente devido à ação dos polifenóis - um grupo de substâncias químicas encontrado em plantas, incluindo os flavanóides, aos quais são atribuídos benefícios à saúde.

"Uma preocupação específica era que a potencial redução da pressão conseguida com os flavanóides pudesse ser anulada pela alta taxa de açúcar, de gordura e de calorias inerentes aos produtos que contêm cacau", destacaram os autores no artigo.

A equipe coordenada por Dirk Taubert, do Hospital Universitário de Colônia, na Alemanha, descreveu os efeitos de baixas doses regulares de cacau na pressão sangüínea. Os testes, realizados entre janeiro de 2005 e dezembro de 2006, incluíram 44 adultos com idades entre 56 e 73 anos e alto nível de pré-hipertensão não tratada (de 130 por 85 a 139 por 89 mmHg) ou no primeiro estágio de hipertensão (de 140 por 90 a 160 por 100 mmHg).

Os participantes foram aleatoriamente designados para receber, durante 18 semanas, 6,3 gramas diárias de chocolate (30 calorias) contendo 30 miligramas de polifenóis ou o correspondente em chocolate branco sem polifenol.

Os pesquisadores descobriram que o chocolate escuro reduziu a pressão média sistólica em 1,6 mmHg e a diastólica em 1 mmHg, sem mudanças no peso, nos níveis de plasma ou nos níveis de lipídios e de glucose. A prevalência de hipertensão caiu de 86% para 68%. Já entre o grupo que recebeu doses de chocolate branco, as pressões sistólica e diastólica permaneceram inalteradas durante o período de tratamento.

O consumo de chocolate escuro resultou também na aparição, em curto prazo, de fenóis de cacau no plasma, com aumento do vasodilatador S-nitrosoglutationa. Não houve mudança nos biomarcadores de plasma no grupo que recebeu chocolate branco.

"Embora a magnitude da redução da pressão sangüínea tenha sido pequena, os efeitos são clinicamente observáveis. Numa base populacional, estima-se que uma redução de 3 mmHg na pressão sistólica reduziria o risco relativo de mortalidade por derrame em 8%, de mortalidade por doença arterial coronariana em 5% e da mortalidade em geral em 4%", diz o artigo.

"A descoberta mais intrigante do estudo é que pequenas quantidades de chocolates vendidos comercialmente têm potencial de redução da pressão sangüínea comparável com mudanças de hábitos alimentares com eficácia comprovada na redução de taxas de eventos cardiovasculares", destacaram os pesquisadores.

Segundo eles, enquanto a adesão a longo prazo a mudanças comportamentais complexas é freqüentemente baixa e requer acompanhamento contínuo, a adoção de pequenas quantidades de cacau rico em flavanol na dieta cotidiana seria uma mudança dietética de fácil adesão. "Estudos futuros deverão avaliar os efeitos do chocolate em outras populações e as conseqüências a longo prazo", indicaram.

O artigo Effect of Cocoa and Tea Intake on Blood Pressure: A Meta-analysis, de Dirk Taubert e outros, pode ser lido por assinantes do Jama em jama.ama-assn.org.

Fonte: Agência Fapesp