Notícia

Folha.com

Do nióbio à serrapilheira, mais adubo para a pesquisa nacional

Publicado em 27 março 2017

Por Marcelo Leite
Final dos anos 80, talvez 1987 ou 1988. Numa caminhada suarenta pela reserva Ducke, arredores de Manaus, aprendi com o visionário Antonio Donato Nobre o significado de "serrapilheira": camada fofa de detritos vegetais, sobretudo folhas, que recobre o solo pobre da floresta amazônica e sustenta sua exuberância alimentando raízes e sementes. Uma revelação, quase uma epifania: a mata aduba a si própria. Três décadas depois, dou com a palavra –e o conceito– no nome de uma iniciativa não menos desconcertante: Instituto Serrapilheira, [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.