Notícia

Folha de S. Paulo

DNA pode deixar alguns bebês mais vulneráveis ao zika

Publicado em 03 fevereiro 2018

Por Reinaldo José Lopes
Diferenças genéticas talvez ajudem a explicar por que apenas alguns dos bebês gestados durante a epidemia de zika sofreram com as graves sequelas neurológicas causadas pelo vírus da doença. As pistas a esse respeito vêm de um estudo que comparou o DNA de irmãos gêmeos não idênticos, dos quais apenas um teve o sistema nervoso afetado pela zika ainda na barriga da mãe. A pesquisa, publicada por cientistas da USP, do Instituto Butantan e de outras instituições brasileiras, acaba de sair na revista especializada de acesso aberto [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.