Notícia

ABM Brasil - Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração

Diretoria de Inovação do IPT aposta em grandes projetos

Publicado em 22 outubro 2009

A articulação e o apoio a grandes projetos empresariais, envolvendo várias áreas do Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT, tem sido uma das principais ações da nova diretoria de Inovação dirigida pelo Prof. Dr. Fernando José Gomes Landgraf. Há três meses no cargo, o engenheiro metalurgista cita como exemplos o Laboratório de Estruturas Leves, em São José dos Campos, e o Centro de Desenvolvimento de Gaseificação de Biomassa, em Piracicaba (SP).

"Estamos trabalhando nesses e em outros projetos para combinar a atuação do IPT com a universidade, no apoio a uma ou mais empresas, com o uso de recursos do BNDES, Finep e Fapesp", disse ele, que trabalhou no Instituto durante 28 anos, de 1977 a 2005.

Criador do Laboratório de Metalurgia do Pó e Materiais Magnéticos, Landgraf retorna ao IPT em um momento de entrada de volumes significativos de investimentos do governo do Estado de São Paulo. "Entre 2008 e 2009 já foram investidos mais de R$ 60 milhões".

Internamente, o principal desafio é incentivar a inovação em uma ação simultânea à criação de metas ligadas à produção tecnológica. "É importante que o IPT volte a valorizar a produção tecnológica. Nesse sentido, estamos incentivando os pesquisadores que apresentem trabalhos em congressos realizados no Brasil. Afinal, é nessas platéias que estão nossos clientes", enfatiza ele.

Outro direcionamento da nova diretoria é a defesa da inovação incremental, ou seja, a melhoria de sistemas já existentes. "Uma inovação radical é um evento raro: estatísticas apontam que, do conjunto de patentes, uma a cada cinco mil pode ser incluída nessa categoria", diz o engenheiro, para quem inovação é realizar da melhor forma o que a gente já faz.

Nesse sentido, ele destaca a importância das empresas buscarem mais a parceria com as universidades e centros de pesquisa. "O open inovation, tão em moda, é exatamente isso e resulta em inovações incrementais mais importantes. Grandes empresas, como a Petrobras, já vêem o compartilhamento da propriedade intelectual como um dos melhores caminhos para a inovação".

Landgraf é professor doutor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em comportamento magnético dos materiais de engenharia, incluindo seu processamento por conformação mecânica. Atua em laminação e processamento de materiais particulados de aços elétricos, ímãs aglomerados (bonded magnets), investigando as relações entre processo, microestrutura e textura cristalográfica e suas propriedades magnéticas.

Associado da ABM há mais de 30 anos, participa ativamente do Congresso Anual e de seminários como integrante das comissões organizadoras e apresentador de trabalho. Já foi diretor de várias divisões técnicas, entre elas, a de Aplicação de Materiais, Ensino e Metalurgia de Não-ferrosos e desde 1999 é editor do Caderno Técnico da revista Metalurgia & Materiais.