Notícia

Fapemig

Diretor Científico assina posse do novo mandato

Publicado em 02 julho 2007

Na última sexta-feira, 29 de junho, o diretor científico da FAPEMIG, Mario Neto Borges, tomou posse em seu segundo mandato, válido até 2010. Na cerimônia, que aconteceu durante uma reunião interna, com a presença de funcionários e membros do conselho curador da Fundação, Borges manifestou sua satisfação ao ser reconduzido, recordou as conquistas e desafios do primeiro mandato e apresentou propostas para a nova gestão.

Mario Neto Borges ingressou na Fundação em 2004, ocupando o cargo deixado por Naftale Katz. A recondução do diretor foi publicada no Diário Oficial do dia 14 de junho. A nomeação foi feita pelo governador do Estado, que escolheu o diretor com base em uma lista tríplice enviada pelo Conselho Curador da Fundação, formado por representantes da comunidade acadêmica e do setor empresarial.

Para a presidente do Conselho Curador, Lucilia de Almeida Neves Delgado, a renovação do mandato de Borges é fundamental para o desenvolvimento da FAPEMIG. "Estive empenhada em garantir sua recondução, pois sei que isso será bom para a Ciência e Tecnologia no Estado, assim como para funcionários da Fundação e pesquisadores", disse.

"Há cinco anos, a instituição sofria com a falta de recursos, passava por um momento difícil, e então, no primeiro mandato, busquei a revitalização da FAPEMIG", disse Borges durante o evento. "De lá para cá, pulamos de 80 para 140 funcionários, passamos por reformas e mudanças na estrutura, incluindo a criação de novas gerências e departamentos."

No novo mandato, o diretor pretende focar suas ações na consolidação da FAPEMIG. "Nesta fase brilhante, em que temos o orçamento integral, precisamos consolidar ainda mais a instituição. Assim foi a história da Fapesp, que até os 20 anos não tinha 1% do orçamento de seu estado."

Borges ainda ressaltou as propostas para o novo mandato, entre as quais estão a ampliação de fontes alternativas de recursos por meio de parcerias, o investimento em projetos de excelência e estratégicos para o Estado (como redes de pesquisa e pólos de excelência), a modernização do funcionamento e infra-estrutura da FAPEMIG (dando continuidade à implantação do AgilFAP e do Termo de Outorga Eletrônico) e a manutenção de uma gestão articulada entre a Diretoria Executiva da Fundação, o Conselho Curador e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes).