Notícia

Portal do Meio Ambiente

Dinossauros surgiram na América do Sul

Publicado em 12 dezembro 2009

Antecessor do tiranossauro, descoberto nos Estados Unidos, indica que dinossauros surgiram onde hoje está o continente sul-americano e dali se divergiram e se espalharam pelo mundo

Um fóssil descoberto no Novo México, nos Estados Unidos, que pertence ao grupo dos terópodes - do qual fazem parte o tiranossauro e o velocirraptor -, indica que os primeiros dinossauros surgiram na atual América do Sul, de onde se dispersaram pelo mundo.

Comparado com os registros fósseis do Jurássico e do Cretáceo, o retrato da vida dos dinossauros no Triássico Superior não traz a mesma clareza. Sabe-se que os dinossauros se dividiram, nesse último período, em três grupos principais - terópodes, sauropodomorfos e ornitisquia -, mas os fósseis são raros e, quando encontrados, incompletos.

Sterling Nesbitt, da Divisão de Paleontologia do Museu Americano de História Natural, em Nova York, e colegas descrevem em artigo publicado nesta sexta-feira (11/12), na revista Science, esqueletos quase completos de um dinossauro terópode do Triássico Superior.

Os cientistas deram à espécie, que viveu há cerca de 214 milhões de anos, o nome de Tawa hallae. O nome reúne a palavra em hopi (língua de povo indígena norte-americano) para o deus do sol (Tawa) com uma homenagem à paleontóloga amadora Ruth Hall, mulher de Jim Hall, fundador do Ghost Ranch, sítio em que os fósseis foram encontrados.

O dinossauro era carnívoro e media cerca de 2 metros de comprimento e 70 centímetros de altura. Tinha uma mistura de características de espécies que vieram tanto antes como depois. Com os predecessores, compartilhava o formato de sua pelve, por exemplo. Com seus sucessores, dividia características como vértebras com espaços cheios de ar.

A semelhança da pelve com o anterior herrerassauro, encontrado na Argentina, foi destacada pelos cientistas, uma vez que essa espécie tem sido muito discutida desde que foi encontrada, na década de 1960. O novo estudo afirma que as características que o herrerassauro compartilha com o Tawa hallae comprovam que o primeiro era também um terópode. O que reforça a teoria da origem sul-americana.

Mas o grupo também analisou as relações evolucionárias da nova espécie com dinossauros conhecidos do Triássico Superior. A partir da complexidade e da diversidades dessas relações, os pesquisadores concluíram que os terópodes então encontrados na América do Norte não eram endêmicos e que seus predecessores possivelmente se originaram na América do Sul.

Foi apenas após a divergência em terópodes, sauropodomorfos (como o apatossauro) e ornitisquia (como o tricerátops), ocorrida há mais de 220 milhões de anos, que os dinossauros se dispersaram por todo o mundo Triássico, em um momento em que os continentes ainda se encontravam reunidos na Pangeia.

O artigo A Complete Skeleton of a Late Triassic Saurischian and the Early Evolution of Dinosaurs, de Sterling Nesbitt e outros, pode ser lido por assinantes da Science em www.sciencemag.org.

Fonte: Agência FAPESP.