Notícia

Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SP)

Diálogo entre Secretaria e Fapesp pode intensificar financiamento de pesquisas de institutos

Publicado em 29 outubro 2015

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo estão dialogando para que ocorra uma ampliação do financiamento de pesquisas desenvolvidas pelos institutos ligados à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta). O presidente da Fundação, professor José Goldemberg, participou na quarta-feira, 28/10, da reunião de Planejamento Estratégico da Secretaria, realizada no Instituto Agronômico (IAC), em Campinas, e sinalizou ao secretário Arnaldo Jardim e à equipe de gestão da Pasta que a Fapesp tem a possibilidade de dar mais atenção aos institutos incentivando o aumento de solicitações de financiamento de projetos e bolsas de estudo.

Goldemberg afirmou que há uma ideia equivocada de que a Fundação tem que se dedicar muito mais às universidades. De acordo com ele, as pesquisas científicas e tecnológicas desenvolvidas pelos Institutos da Secretaria também são foco da Fundação. Esse tipo de pesquisa conta, atualmente, com investimento de cerca de, R$ 20 milhões. “Estamos buscando mobilizar a Fapesp para auxiliar ainda mais as pesquisas do setor agropecuário, que é totalmente ligado à questão produtiva do Estado”, ressaltou Goldemberg.

Arnaldo Jardim destacou que a Secretaria vem buscando intensificar a relação dos institutos de pesquisas e da Secretaria de Agricultura como um todo com a Fapesp. “A vinda do professor Goldemberg nos deu esta oportunidade. Fiquei muito feliz em ver que ele adotará como diretriz na Fapesp uma prioridade de parcerias com os institutos de pesquisa do Estado de São Paulo. Isso, sem dúvidas, nos coloca em uma situação desafiadora. Teremos que apresentar mais propostas e assim fazer com que os planos se concretizem” ressaltou.

O secretário se disse animado com o reconhecimento que Goldemberg, agora na condição de presidente da Fapesp, tem (e sempre teve) e que reafirmou durante a reunião em relação ao setor agropecuário paulista e ao complexo de pesquisa da Secretaria e de geração de conhecimento nessa área.

O secretário, o coordenador da Apta, Orlando Melo de Castro, e os diretores de Institutos presentes reivindicaram ao presidente da Fundação que seja retomado o programa de apoio a melhoria da infraestrutura dos institutos de pesquisa. “Pedimos apoio para que todos os laboratórios estejam creditados pela ISO 17.025”, destacou.

Outro pleito importante apresentado ao presidente da Fapesp foi que, no momento de análise dos projetos apresentados, que seja levado em conta mais o projeto do que o currículo do proponente. Arnaldo Jardim ressaltou que é necessária uma distinção entre a análise curricular que se faz de um acadêmico da análise de um pesquisador, que é voltado à produção do conhecimento e da inovação tecnológica. Foi solicitado, também, que equipamentos multiusos possam ser apoiados pela Fapesp.

Goldemberg também ouviu dos dirigentes da Secretaria o pedido para que sejam enfatizadas algumas linhas básicas de incentivo à pesquisa: projetos voltados a enfrentar a crise hídrica, como novos conceitos de manejo de recursos hídricos, novos equipamentos; uma linha especifica sobre a questão de reutilização de resíduos da atividade agrícola ou do setor agropecuário, e reforçar a linha de água e energia. “Ao nosso, entender são linhas que combinam com o que tem sido nossa prioridade na Secretaria de Agricultura: agricultura sustentável, harmônica com a questão ambiental; apoio voltado e concentrado ao pequeno produtor e agricultura familiar; que São Paulo continue a ser o polo destacado no país na produção do conhecimento na área do desenvolvimento agropecuário; e a saudabilidade dos alimentos” disse Arnaldo Jardim.

O presidente da Fapesp reconhece que muito ainda pode ser feito, visto que há interesse da Fapesp que sejam realizadas mais pesquisas científicas e tecnológicas pela Secretaria, beneficiando o produtor paulista. “Há, efetivamente uma atividade de pesquisa muito grande por parte dos institutos, mas a ideia é estimular o contato com a Fapesp e aumentar o número de solicitações”, afirmou Goldemberg, destacando que as ações dos institutos da Secretaria têm garantido o desenvolvimento da agricultura do Estado de São Paulo há décadas. “O Instituto Agronômico de Campinas, por exemplo, salvou a agricultura paulista no final do século XIX, com o café e, posteriormente, com a cana-de-açúcar. Sem os trabalhos da Secretaria, não seria possível o desenvolvimento destas culturas importantes no Estado”, observou o estudioso.

Orlando Melo de Castro destacou a importância do encontro para que Goldemberg tenha uma visão mais detalhada dos institutos que são os grandes demandadores de projetos na Fapesp e que se pudesse discutir com ele algumas linhas estratégicas que são demandas atuais e futuras do setor agrícola de São Paulo e do Brasil, mas principalmente que a Fapesp possa ter outro olhar, especialmente quanto a critérios de avalição de projetos e demandas dos institutos. “É importante estabelecer critérios mais adequados aos institutos para avaliação dos projetos. Algumas vezes, o projeto é avaliado bem tecnicamente, mas o currículo do pesquisador/equipe não está adequado aos critérios da Fundação, mas é uma equipe adequada para o projeto tanto que desenvolveu o projeto, e isso precisa ser revisto”, afirmou.

O coordenador da Apta afirmou que a reunião já proporcionou uma lição de casa para os institutos, que têm como missão agregar mais valor e ousadia nas propostas encaminhadas à Fundação. “O Instituto de Zootecnia, num período de dois anos, deu um grande salto em termos de propostas e valores, tendo um alto índice de 74% de aprovação dos projetos. Por meio de um projeto interno e alinhamento das diretorias, cremos que é possível ter êxito nessa tarefa”, disse, ressaltando a inclusão de áreas como resíduos, agroenergia, recursos hídricos e controle biológico no dia a dia dos institutos.

Também participaram da reunião o secretário adjunto de Agricultura e Abastecimento, Rubens Naman Rizek Junior; o chefe de Gabinete, Omar Cassim Neto; o assessor parlamentar e de apoio aos Municípios, Sergio Murilo Hermogenez Cruz; o assessor de Tecnologia da Informação, Carlos Eduardo Batista Fernandes; o assessor de comunicação, Paulo Roberto de Toledo; o coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Orlando Melo de Castro; o   coordenador da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, Fernando Gomes Buchala; o coordenador da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), Michel Reche Beraldo;   o coordenador da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), José Carlos Rossetti; o   diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codasp), Toshio Misato; o diretor do Instituto Biológico, Antonio Batista Filho; o diretor do Instituto de Tecnologia de Alimentos, Luis Fernando Ceribelli Madi; o diretor do Instituto de Pesca, Luiz Marques da Silva Ayrosa; a diretora do Instituto de Economia Agrícola, Marli Dias Mascarenhas Oliveira; a diretora do Instituto de Zootecnia, Renata Helena Branco Arnandes; o diretor do Instituto Agronômico, Sergio Augusto Morais Carbonell; o   secretário executivo do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap), Fernando Aluizio Pontes de Oliveira Penteado e o diretor do Instituto de Pesca, Edison Kubo.

Confira a entrevista do presidente da Fundação, professor José Goldemberg.

Por Paloma Minke

Mais informações

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

(11) 5067-0069