Notícia

CREA - SP (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo)

Desenvolvimento científico e tecnológico em SP

Publicado em 13 julho 2017

O Engenheiro em Eletrônica e Físico Carlos Henrique de Brito Cruz foi o palestrante convidado pelo Fórum Conjunto das Entidades de Classe e Instituições de Ensino do Crea-SP para o encontro do mês de julho, realizado em paralelo à programação do Encontro Nacional de Engenharia Civil – Enec.

A FAPESP e o desenvolvimento científico e tecnológico no Estado de São Paulo foi o tema escolhido para o encontro do dia 13. Brito Cruz é Diretor Cientifico da FAPESP e Professor no Instituto de Física Gleb Wataghin da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Acima: recebendo o certificado de participação das mãos do Vice-Presidente do Conselho, Eng. Edson Navarro

Uma das principais agências de fomento à pesquisa científica e tecnológica do País, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo é “uma fundação pública, financiada com o dinheiro do contribuinte paulista”, esclareceu o palestrante.

Com base em dados de 2015, o palestrante informou que existem no estado de São Paulo 74 mil pesquisadores em atividade, dos quais 43 mil são professores/estudantes de doutoramento e 27 mil estão em empresas.

“Importante ressaltar que esses profissionais dedicados à atividade de pesquisa nas empresas não são necessariamente pessoas ligadas à área acadêmica. São pessoas que sabem usar as regras da engenharia ou de outra área para resolver problemas para a empresa”, destacou.

Acima: com os Diretores José Guilherme Pascoal de Souza (Educação), Cláudia Aparecida Ferreira Sornas Campos (Entidades de Classe) e Carlos Eduardo de Vilhena Paiva (Administrativo)

Segundo Brito Cruz, existem atualmente 15 bilhões de dólares disponíveis para o financiamento de atividades de pesquisa no Estado. “Em São Paulo, mais da metade desse dinheiro vem de empresas, não é do governo”, disse, traçando um paralelo com os recursos federais para a iniciativa. “A parte que vem do governo estadual é bem maior que a que vem do governo federal. Nenhum outro estado brasileiro faz isso na dimensão que faz São Paulo”

“1% de toda a receita orçamentária do Estado pertence à Fapesp. Isso dá à fundação um grau de estabilidade e autonomia muito importante. Você precisa ter uma continuidade dessas atividades”, analisou, revelando que existem hoje mais atividades cientificas sendo desenvolvidas no estado de São Paulo do que em toda a América Latina.

Produzido pelo Departamento de Comunicação do Crea-SP

Reportagem: Jornalista Perácio de Melo - DCO/SUPCEV