Notícia

Fundep - Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa

Descoberta histórica na Espanha

Publicado em 27 março 2008

Cientistas espanhóis acabam de anunciar a descoberta do mais velho hominídeo na Europa Ocidental de que se tem notícia. Os fósseis, de cerca de 1,2 milhão de anos, foram encontrados no sítio arqueológico de Sima del Elefante, na Espanha, e já são considerados a mais acurada evidência da ocupação humana no continente.

Em artigo de capa na edição de 27 de março da revista Nature, os pesquisadores descrevem a descoberta de uma mandíbula inferior humana em conjunto com ferramentas feitas em pedra e ossos de animais.

O grupo conseguiu datar os objetos por meio de uma mistura de diversas técnicas, como paleomagnetismo e o decaimento radioativo de isótopos nos sedimentos. Também foi utilizada a bioestratigrafia, método que identifica e distingue estratos pelo seu conteúdo fossilífero.

Os autores do estudo classificaram os fósseis como pertencentes à espécie Homo antecessor, um possível ancestral dos neandertais e dos humanos modernos.

Segundo eles, a evidência fossilífera, junto com remanescentes de outros sítios, sugerem que a Europa Ocidental foi habitada inicialmente durante o Pleistoceno inicial (de cerca de 1,8 milhão de anos a 780 mil anos atrás)por uma população de hominídeos vinda do leste.

"O estudo da mandíbula humana [encontrada] indica que o primeiro povoamento na Europa Ocidental pode estar relacionado com a expansão demográfica inicial para fora da África", destacaram no artigo.

A pesquisa associou as ferramentas encontradas com a atividade humana, em métodos como martelar ou a própria fabricação dos utensílios. A atividade humana também está indicada em marcas de cortes registradas em ossos de animais.

No mesmo sítio de Sima del Elefante foram descobertos, em 1994, os primeiros fósseis atribuídos à espécie Homo antecessor. A cerca de 1 quilômetro dali está outro sítio arqueológico, Sima de los Huesos, onde mais de 6 mil remanescentes fósseis da espécie Homo heidelbergensis foram encontrados até hoje.

Em setembro de 2007, outro estudo publicado na Nature descreveu a descoberta do mais antigo registro do gênero Homo fora da África. Com idade estimada em 1,77 milhão de anos, os fósseis foram encontrados no sítio de Dmanisi, na Geórgia, país localizado na fronteira entre a Europa e a Ásia.

O artigo The first hominin of Europe, de Eudald Carbonell, do Instituto Catalão de Paleoecologia Humana e Evolução Social, e outros, pode ser lido por assinantes da Nature em www.nature.com.

Fonte: Agência FAPESP