Notícia

Panorama Farmacêutico

Descoberta de fármacos para os mais negligenciados

Publicado em 18 agosto 2020

É com grande satisfação que celebramos o lançamento do consórcio Molecules Initiative for Neglected Diseases (MINDI) – https://mindi.iqm.unicamp.br/ – com o objetivo de descobrir novos candidatos a fármacos para o tratamento de malária, doença de Chagas e leishmanioses. Este projeto é o resultado de um convênio PITE firmado entre a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), a Universidade de São Paulo (USP), a Medicines for Malaria Venture (MMV), a iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Essas organizações fantásticas, MMV e DNDi, têm um histórico fabuloso no desenvolvimento de novos tratamentos e novos medicamentos para várias doenças parasitárias tropicais e vêm salvando milhões de vidas. As colaborações com a MMV e com a DNDi começaram oficialmente em março de 2013. O projeto com a DNDi foi chamado LOLA (Lead Optimization Latin America) e o com a MMV se chamou Brazil Heterocycles.

Este projeto é a primeira parceria envolvendo a MMV e a DNDi e a academia latino-americana que se dedica à otimização de compostos líderes, uma etapa complexa e crucial no processo de descoberta de medicamentos. O objetivo é desenvolver medicamentos que possam ser administrados por via oral, sejam altamente eficazes, tenham baixa toxicidade e sejam baratos e acessíveis. Com a MMV, como um desafio extra, estamos trabalhando para desenvolver um tratamento de DOSE ÚNICA para a malária – e que grande desafio é este!

Este projeto também visa trazer para o Brasil novas experiências na área de descoberta de medicamentos, destacando a importância do trabalho colaborativo nesta desafiadora área de pesquisa. Nesse trabalho, a MMV e a DNDi, em conjunto com diversos parceiros e cientistas de renome mundial da academia e de empresas farmacêuticas globais, institutos de pesquisa e universidades no Brasil e no exterior, unem esforços em torno de um único objetivo: SALVAR A VIDA das pessoas mais negligenciadas deste planeta.

Este trabalho colaborativo já teve impacto positivo no desenvolvimento de novas capacidades no Brasil, ajudando a ampliar nosso horizonte e estabelecer novas tecnologias para este complexo e desafiador pipeline de desenvolvimento de medicamentos. Ainda assim, foi apenas o começo desta jornada. Agora é hora de dar um passo adiante. Nos próximos 5 anos, com este consórcio consolidado, teremos as ferramentas certas para tentar alcançar nossos objetivos e fazer a diferença.

Este é um exemplo concreto de ciência com retorno para a sociedade: a melhor ciência para quem mais precisa, a melhor ciência para os mais negligenciados, a melhor ciência para resolver os desafios humanos. Ciência para fazer o bem, para desenvolver e melhorar a vida das pessoas. E eu acredito que nada pode ser mais inovador do que contribuir para salvar vidas.

O projeto que hoje se lança não só consolida o sucesso de nossas colaborações em curso, mas também mostra que essas conceituadas organizações internacionais reconhecem a alta qualidade da ciência realizada no Brasil. Tudo o que fazemos é para salvar vidas!

Fonte: Jornal da Ciência

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
ABC - Academia Brasileira de Ciências Jornal da Ciência online