Notícia

Agência C&T (MCTI)

Descarte ecológico de fluorescentes

Publicado em 01 outubro 2007

O Instituto Mauá de Tecnologia (IMT) realizou pelo terceiro ano a Operação Papa-Lâmpadas, focada no descarte ecologicamente correto de lâmpadas fluorescentes, provenientes dos campos dos campus São Paulo e São Caetano do Sul do Centro Universitário do Instituto Mauá de Tecnologia.

A operação foi realizada no dia 29 de agosto em parceria com a Naturalis Brasil, empresa criada a partir do trabalho final de um grupo de alunos de MBA da Mauá e a única empresa de reciclagem de lâmpadas no País com unidade móveis para descarte no próprio local de origem das lâmpadas queimadas.

Como os processos completos de manipulação, trituração e destinação de resíduos são feitos no local, eliminam-se os custos de transporte e diminuem-se os riscos de contaminação com o mercúrio contido nas lâmpadas que, se ingerido ou inalado, causa efeitos nocivos ao sistema nervoso.

Quando se rompe uma dessas lâmpadas, o mercúrio em seu interior é liberado em forma de vapor, que pode ser absorvido pelos organismos vivos. Se forem lançadas em aterros, contaminam o solo e os cursos d'água e, conseqüentemente, chegam à cadeia alimentar.

Um dos coordenadores do descarte, o engenheiro Luis Henrique Cotrim, da Gerência de Manutenção e Serviços da Mauá, explica que faz o controle para que as lâmpadas fluorescentes queimadas sejam guardadas em depósito e contata a Naturalis Brasil quando certa quantidade é acumulada, como neste caso, em que o número chegou a 2.804 unidades. "Todos ficam sabendo da importância desse procedimento por meio do boletim interno, que também divulga alguns detalhes sobre o descarte ecologicamente correto", afirma Cotrim.

Além disso, o descarte é realizado em área aberta, de fácil acesso, o que garante a visibilidade para a comunidade acadêmica. De acordo com números divulgados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), cerca de 100 milhões de lâmpadas fluorescentes são consumidas por ano no Brasil, sendo 94% delas descartadas em aterros sanitários sem qualquer tratamento.

No Centro Universitário do IMT são ministrados cursos superiores de Design do Produto, Engenharia (Alimentos, Civil, Controle e Automação, Elétrica, Mecânica, produção Mecânica e Química) e de Tecnologia (Gestão Ambiental, Gestão da Tecnologia da Informação, Marketing e processos Gerenciais) e programas de mestrado em Processos Químicos e Bioquímicos e de Pós-graduação em Engenharia de Processos Industriais.