Notícia

JC e-mail

Demanda do edital Institutos Nacionais de C&T foi de R$ 1,5 bilhão

Publicado em 17 novembro 2008

Foram recebidas 261 propostas

 

Analisando a demanda por regiões, o Sudeste apresentou 67% das propostas enviadas, o Nordeste e o Sul 11%, cada, o Centro-Oeste 6% e o Norte 5% dos projetos submetidos ao edital. Dos recursos disponíveis, serão destinados 35% para os projetos dos estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, 15% para o Sul e 50% para a região Sudeste.

A criação dos institutos conta com a parceria da Capes/MEC, e das Fundações de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), do Pará (Fapespa), de São Paulo (Fapesp), Minas Gerais (Fapemig), Rio de Janeiro (Faperj) e Santa Catarina (Fapesc).

Durante a reunião, o Ministério da Saúde garantiu apoio a um conjunto de projetos relacionados com saúde humana, e os representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Petrobras selecionaram projetos que poderão também contar com apoio desses parceiros.

O Comitê de coordenação analisou as recomendações da comissão de especialistas, que se reuniu de 27 a 31 de outubro, assim como a avaliação das diretorias científicas das fundações de amparo à pesquisa que participam do programa.

As propostas aprovadas receberão financiamento por até cinco anos; os recursos para os três primeiros anos já estão garantidos, e somam cerca de R$ 520 milhões, aí incluídos R$ 30 milhões em bolsas que serão concedidas pela Capes e os novos recursos aportados pelo Ministério da Saúde.

O desempenho de cada instituto constituído no âmbito deste programa será acompanhado pelo CNPq e pelo Comitê de Coordenação, enquanto que a avaliação do programa, tendo em vista as metas inicialmente propostas, será feita pelo CGEE.

Comitê de Coordenação do Programa dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia

- Sergio Rezende, ministro da Ciência e Tecnologia

- Luiz Antônio Rodrigues Elias, secretário Executivo MCT

- Marco Antonio Zago, presidente do CNPq

- Ricardo Gattass, representante da Finep (Representando Luis Manuel Rebelo Fernandes, Presidente da Finep)

- José Roberto Drugowich, diretor de Programas Horizontais e Instrumentais do CNPq;

- José Oswaldo Siqueira, diretor de Programas Temáticos e Setoriais do CNPq

- Jorge Almeida Guimarães, presidente da Capes, do Ministério da Educação

- Lúcia Carvalho de Pinto Melo, presidenta do CGEE

- Reinaldo Nery Felipe Guimarães, secretário de Ciência Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) do Ministério da Saúde

- Lúcia Lázaro Tavares, representante da Petrobrás, do Ministério de Minas e Energia (Representando Carlos Tadeu Fraga)

- Helena Tenório Veiga de Almeida, representante do BNDES, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Representando João Carlos Ferraz)

- Carlos Henrique de Brito Cruz, representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp

- Ruy Garcia Marques, representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, Faperj

- Evaldo Ferreira Vilela, representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, Fapemig

- César Zucco, representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina, Fapesc

- Ubiratan Holanda Monteiro, representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará, Fapespa

- Odenildo Teixeira Sena, representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, Fapeam

- Celso Pinto de Melo, representante da comunidade científica e tecnológica

- Marco Antônio Raupp, representante da comunidade científica e tecnológica

- Otávio Guilherme Velho, representante da comunidade científica e tecnológica

- Eduardo Moacyr Krieger, representante da comunidade científica e tecnológica

- Hernan Chaimovich Guralnik, representante da comunidade científica e tecnológica

- José Ellis Ripper Filho, representante do setor empresarial

- Hermann Wever, representante do setor empresarial

Estiveram ainda presentes à reunião, como convidados, Wrana Panizzi, vice-presidente do CNPq, Walter Colli, que coordenou a comissão de especialistas, e Ronaldo Mota, assessor do MCT.

(Informações da Assessoria de Comunicação do CNPq)