Notícia

Pense Leve

Defesa a postos

Publicado em 01 junho 2008

Por Françoise Gregório

O corpo humano é uma fortaleza que sofre constantes ataques. Por isso, conta com uma tropa bem treinada de células e tecidos que lutam, incansavelmente, contra vírus, bactérias e outros microrganismos do mal. Alerta 24 horas, o sistema imunológico cumpre com funções como identificar a presença do invasor,exterminá-lo e até limpar os resquícios do embate. Depois da vitória, os combatentes concentram-se na produção de novos anticorpos, ficando munidos para um futuro ataque. Mas esse exercito nem sempre é invencível. E, então, nossas defesas ficam debilitadas e, às vezes, os vilões levam a melhor na batalha.

Campo Minado

Com a queda da temperatura, os microorganismo encontram condições perfeitas para sobrevivência e nos pegam de jeito! O resultado não é novidade: asma, gripe, resfriado, bronquite, sinusite e outros “itens”. A invasão começa pela  boca e nariz e continua até os pulmões. Se o sistema imunológico estiver de prontidão, o contra-ataque acontece já na traquéia. Caso contrario, os invasores, têm caminho livre. Durante, o trajeto, provocam lesões que alteram o funcionamento dos cílios que revestem o aparelho respiratório, cuja função é expulsar, por meio da tosse, tudo o que for estranho ao organismo. “Nesta época, os inimigos aparecem com maior freqüência porque as pessoas tendem a permanecer mais tempo em ambientes fechados, o que facilita a contaminação”, explica o infectologista Marcos Boulos, de São Paulo.

O que muitos teimam em duvidar é que hábitos saudáveis são fundamentais para potencializar a defesa. Praticar exercícios, ficar longe de álcool e cigarro, driblar a fadiga e seguir dieta balanceada integram a lista de boas ações. Pesquisa realizada na Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, apontou que voluntários com maior número de atividades físicas na rotina tinham 25% menos infecções nas vias respiratórias  comparados Aos demais. Outro recente estudo, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), demonstrou que a nicotina reduz a capacidade das células de defesa em perseguir e destruir bactérias. Então, olho vivo!

Seu escudo protetor

Respire e relaxe – “O estresse libera quantidades consideráveis de hormônios que enfraquecem as defesas”, comenta a cardiologista Danielli Denzen, de São Paulo.

Lei da atração – Estudo da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, confirmou que indivíduos com maior atividade do lado direito do cérebro (relacionado aos pensamentos positivos) apresentaram maior imunidade que os demais.

Fique Zeeen – Técnicas orientais como meditação, tai chi chuan e ioga são poderosas contra a fadiga mental, inimiga do sistema imunológico.

Agulhadas do bem – Uma das indicações da acupuntura é aumentar a imunidade e, também, a resistência à friagem.

Aromaterapia – A técnica contribui para o alívio das vias respiratórias. Entre os óleos essenciais, experimente usar opções como eucalipto, menta ou manjericão em um vaporizador.

Longe das multidões – No inverno, locais fechados e com pessoas aglomeradas são focos certeiros da contaminação. Abra as janelas! Mesmo com o friozinho, é imprescindível manter os ambientes sempre bem ventilados.

Mãos limpinhas - Como há contato recorrente das mãos com diversas bactérias, deve-se higienizá-las com maior freqüência no inverno. Também se recomenda o uso de gel anti-séptico.

Ar seco, cof cof! Utilizar umidificador de ar e aplicar soro fisologico nas narinas são boas alternativas. Além disso, coloque algumas toalhas úmidas ou um balde com água nos quartos e salas.

Munição Poderosa

Hidratação na certa: beba, no mínimo, quatro copos de água diários para varrer as toxinas do organismo.

Vitamina B6, eu quero!: coma cereais integrais, banana, gema de ovo, semente de girassol e peixes para potencializar as defesas.

Receitas quentinhas: segundo a medicina chinesa, condimentos como gengibre e cebolinha aquecem e estimulam o metabolismo.

Zinco na dieta: presente no leite e derivados, o mineral alimenta as defesas do corpo. E mais: iogurtes naturais possuem microorganismos vivos que reduzem a gravidade de alergias.

O bom da carne: ferro, vitamina A e proteína são essenciais para o bom desempenho do sistema imunológico.

Saúde a gosto: alho e cebola são ricos em alicina, substancia com ação antimicrobiana que protege contra o vírus da gripe.

Capriche na vitamina C: "Laranja, acerola, limão e cia. aumentam as resistências do corpo”, garante a nutrologa Jane Corona, do Rio de Janeiro. Quanto à suplementação, deixe para quem sofre de deficiências nutricionais. A interação dos nutrientes de um alimento é o que determina como será a absorção pelo organismo.

Cogumelos de poder: shimeji e shitake esbanjam lentinana, molécula que estimula os exterminantes de microorganismos.