Notícia

Jornal de Piracicaba online

Dedini e Fapesp assinam acordo de cooperação para o etanol

Publicado em 16 julho 2007

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), participa da assinatura que acontece na abertura do Simtec


O governador José Serra (PSDB) participa hoje, às 14h, da assinatura de um acordo de cooperação — no valor de R$ 100 milhões — entre a Dedini Indústria de Base, de Piracicaba, e a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para pesquisas científicas e tecnológicas voltados ao aperfeiçoamento de tecnologias industriais para a transformação da cana em etanol. A assinatura acontece durante a solenidade de abertura da quinta edição do Simtec 2007(Simpósio Internacional e Mostra de Tecnologia da Agroindústria Sucroalcooleira), no Engenho Central. Os trabalhos serão feitos por equipes compostas por pesquisadores de instituições de ensino superior e pesquisa no Estado de São Paulo e da Dedini. Outros detalhes do acordo serão divulgados hoje.

O Simtec será realizado até esta sexta-feira, dia 20 de julho, e deve gerar 20% mais em volume de negócios em relação ao ano passado, algo em torno de R$ 300 milhões. São 6.000 metros quadrados de área disponível onde estão dispostos 150 expositores, segundo os organizadores. A feira é direcionada ao mercado sucroalcooleiro e tem o intuito de criar oportunidades para a realização de negócios e difundir novidades do setor. São esperadas aproximadamente 22 mil pessoas nos quatro dias do evento.

De acordo com José de Jesus Vaz, coordenador geral do Simtec, o setor vive um momento especialmente favorável, desencadeado a partir da visita do presidente norte-americano George W. Bush ao Brasil, em março deste ano. "Esta edição do Simtec será estratégica para a difusão de informação sobre o setor sucroalcooleiro e uma vitrine, que pode alavancar a transformação do etanol em commodity e chamar a atenção do resto do mundo para o uso do produto", conta.

Nesta edição, o Simtec terá um caráter mais técnico, ao focar a difusão de novas tecnologias e novidades do mercado, além de debater as perspectivas da cadeia sucroalcooleira em âmbito nacional e internacional. Outra mudança e a opção pelo acesso único ao recinto, no caso a ponte pênsil. A área para estacionamento também será próxima à ponte.

Este ano a mostra conta ainda com o projeto Imagem, que vai trazer jornalistas e formadores de opinião para projetar o Brasil e o álcool no mundo. "A proposta é a de valorizar o setor e evitar informações equivocadas divulgadas na imprensa mundial, como a de que o país está desmatando florestas para a plantação de cana", afirma Vaz.

Um contingente maior de trabalhadores foi acionado para esta quinta edição do Simtec. Na área de controle de acesso e portaria vão atuar 30 profissionais, além de 20 na limpeza, 35 na área de estacionamento e 20 como seguranças.

Público — O Simtec é dirigido a empresários e técnicos do setor sucroalcooleiro e contará com a participação de empresas produtoras de máquinas e equipamentos, prestadores de serviços e consultoria para indústria sucroalcooleira, além de fabricantes de máquinas e equipamentos para agricultura. Durante a mostra serão realizados seminários técnicos, ministrados por empresas e profissionais com experiência no segmento agroindustrial do açúcar e do álcool.

Uma extensa grade de palestras gratuitas foi programada para o período da manhã, com a participação de especialistas de países como Japão, Austrália, Estados Unidos, entre outros. O enfoque internacional será realizado em parceria com o Apla (Arranjo Produtivo Local do Álcool), que deverá receber ao menos 15 empresários de outros países para realização de negócios.

Em paralelo ao Simtec, ocorrerá também o 3º Simbio (Simpósio sobre Biotecnologia na Cana-de-Açúcar), com a proposta de divulgar pesquisas relacionadas ao aproveitamento da biomassa nas usinas.

Este ano haverá cobrança de entrada no Simtec: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada) para quem não possui vínculos com o setor ou não tem convites. Todo o dinheiro arrecadado com a entrada do evento será entregue ao Fundo Social de Solidariedade, da Prefeitura.