Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Daniel Pereira assume pela segunda vez a direção do IFGW

Publicado em 16 julho 2010

Pela segunda vez, o físico e ex-pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, Daniel Pereira, assume a direção do Instituto de Física "Gleb Wataghin" (IFGW). Pereira tomou posse na manhã desta sexta-feira (16) em sessão solene presidida pelo reitor Fernando Ferreira Costa no auditório da unidade. Na oportunidade, também foi empossado o professor Newton Cesario Frateschi, que passa a responder pela diretoria associada do Instituto. Na presença de integrantes da Administração Central da Universidade, diretores de unidades de ensino e pesquisa, professores, alunos, servidores e familiares, o novo diretor defendeu o investimento na qualificação e contratação de recursos humanos. Segundo ele, esse será um dos principais desafios da sua gestão à frente do IFGW.

O produto da Universidade, disse Daniel Pereira, está associado à sua missão, que é a formação de recursos humanos, a geração e a disseminação do conhecimento. "Então, o desafio, em particular para uma universidade pública como a Unicamp, é fazer essa missão com qualidade. E para que isso ocorra, fundamentalmente, nós precisamos de recursos humanos qualificados. Os desafios da nossa gestão para que o Instituto continue mantendo seu nível de excelência nas atividades-fins são os investimentos nas pessoas", projetou.

Também acompanharam a cerimônia o ex-reitor Carlos Henrique de Brito e Cruz, atual diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp); o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho; e o coordenador-geral da Unicamp, Edgar Salvadori De Decca.

Com mandato de quatro anos, Daniel Pereira substitui Júlio Cesar Hadler Neto, que conduziu o Instituto no período de 2006 a 2010, tendo também continuado o mandato de Pereira a partir de 2005, quando este assumiu a Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP). "Eu tenho uma responsabilidade muito maior assumindo o Instituto de Física pela segunda vez. Espero, ao final de quatro anos, não desapontar as pessoas que depositaram confiança em mim e surpreender os demais, desejando que todos participem e contribuam para que essa gestão seja positiva", assegurou Pereira.

Com um discurso emocionado, Júlio Cesar Hadler atribuiu a docentes, funcionários e alunos as principais conquistas do período, capazes de manter a excelência do Instituto na graduação e na pós. "Continuamos a gestão do Daniel com os mesmos princípios, que são privilegiar o mérito acadêmico e a qualidade de ensino, principalmente o ensino de graduação. Nossas decisões tiveram sempre como norte a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão, do IFGW, da Unicamp, enfim, da sociedade brasileira que nos sustenta com os seus impostos", apontou.

O ex-diretor destacou a criação de mecanismos de planejamento quadrianual para contratação de docentes, a ampliação de laboratórios de pesquisas, a instituição das aulas magnas na graduação, além de atividades de extensão como oficinas e o início, este ano, da capacitação de docentes da rede pública de ensino. "Na Pós-Graduação, nosso Instituto tem nota 7 da Capes, o que significa nível internacional", completou. Hadler teve como diretor-associado o professor Francisco das Chagas Marques, a quem ele agradeceu "pela formação de uma verdadeira equipe e ajuda inestimável no período".

Elogiando a gestão de Hadler à frente do Instituto, o reitor Fernando Costa disse ser uma satisfação presidir a cerimônia de posse do diretor de um Instituto de ensino e pesquisa da dimensão nacional que o IFGW tem. "A atividade deste Instituto, criado um ano depois da Unicamp, em 1967, contribuiu de maneira fundamental para moldar a Universidade como ela é hoje, uma das principais do país e umas das mais importantes do mundo", afirmou.

O reitor fez uma referência ao papel pioneiro do professor Gleb Wataghin, um dos responsáveis pelo estabelecimento da física experimental como atividade científica no país, para destacar a importância dos docentes do Instituto "no desenvolvimento da Unicamp, da ciência e da física no Brasil". O nome do Instituto de Física é uma homenagem a Wataghin, que recebeu, em 1971, o primeiro título de doutor honoris causa da Unicamp.