Notícia

Diário Catarinense online

Da Ilha ao Paraíso: potencial turístico inexplorado e uma cidade construída na cratera do meteorito

Publicado em 31 outubro 2014

Por Pablo Gomes

Poucos lugares podem se gabar de ter uma beleza natural com um grande potencial turístico tão pertinho de tudo e acessível a todos. Ponte Serrada é um deles. Com pouco mais de 11 mil habitantes e a quase 500 quilômetros longe do mar, a cidade conta com um atrativo que, se corretamente explorado, pode colocá-la em destaque no mapa turístico do Estado.

Localizada no bairro Cascatinha, a dois quilômetros do acesso principal pela BR-282, a Cachoeira do Vicenzi tem 75 metros de altura e, há alguns anos, era utilizada pelos moradores para momentos de lazer.

Mas o lixo jogado pela própria população nos rios Ponte Serrada, Pouso do Maia e Bahia, cujas águas chegam à cachoeira, sujaram o local, frequentado atualmente apenas por praticantes de rapel.

Sempre que possível, a prefeitura realiza a limpeza dos rios com a ajuda de estudantes e professores. A proposta, diz o diretor municipal de Cultura, Anildo Ribeiro Moraes, é revitalizar a área para torná-la um atrativo turístico com trilhas ecológicas inspirado no Parque Tanguá, em Curitiba (PR).

Outra ideia, lembra o secretário municipal de Meio Ambiente, Airto Motamese, é proporcionar a revitalização paralelamente à exploração turística do Parque das Araucárias, uma reserva federal que começa a despertar o interesse das autoridades e investidores. Porém, ainda não há prazos previstos para ações concretas.

Outras informações e agendamento de visitas podem ser obtidas com a prefeitura, pelo telefone (49) 3435-0122.

Não é boato, muito menos piada. É ciência. Com uma área territorial de 166 quilômetros quadrados e apenas 3,5 mil habitantes, Vargeão é um dos raros municípios construídos em um astroblema, cratera formada pela queda de um meteorito.

O fato aconteceu há mais de 150 milhões de anos e foi comprovado pelos geólogos Alvaro Penteado Crósta, César Kazzuo-Vieira, Asit Choudhuri e Alfonso Schrank, que publicaram, em 2005, um estudo com o apoio da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundo de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp), além da prefeitura local.

O astroblema abrange os territórios das cidades de Vargeão, Faxinal dos Guedes e Passos Maia. Mas é Vargeão que se situa totalmente dentro da cratera. Uma torre construída no Restaurante Parada do Meteoro, à beira da BR-282, funciona como mirante da cratera.

Outras informações podem ser obtidas com a prefeitura pelo telefone (49) 3434-0148.

DIÁRIO CATARINENSE