Notícia

As Coisas Mais Criativas do Mundo

Curso: Seis análises sociológicas e estéticas no cinema

Publicado em 04 junho 2019

Data: de 01 a 12 de julho (06 encontros)

Horário: de 2ª, 4ª, 5ª e 6ª feira, das 19h às 22h

Local: Auditório LABMIS (64 lugares)

Valor: R$120,00

Sinopse: O curso aborda a análise fílmica e estética do cinema em seis filmes de ficção, do gênero dramático, produzidos nas duas últimas décadas, tendo como eixo condutor a temática pela história e pela teoria crítica sociológica.

Serão exibidos os seguintes filmes, seguidos da análise realizada pelo professor a partir da temática exposta:

– Segunda-feira ao sol (Los Lunes al Sol, Dir. Fernando León de Aranoa, Espanha, 2002, 113 min): aborda como a reestruturação produtiva espanhola atacou os trabalhadores da indústria naval.

– O corte (Le Couperet, Dir. Costa-Gavras, Bélgica/França, 2005, 122 min): filme do consagrado diretor grego Costa-Gavras que faz uma excelente reflexão sobre a corrosão do caráter na sociedade ultraconcorrencial do capitalismo avançado.

– Biutiful (Biutiful, Dir. Alejandro González Iñarritu, México/Espanha, 2010, 130 min): fala sobre os imigrantes superexplorados em Barcelona que realizam trabalhos clandestinos para sobreviver

– Bem-vindo (Welcome, Dir. Philippe Lioret, França, 2009, 110 min): trata do preconceito racial e dos fluxos migratórios originados por guerras ou outras catástrofes a partir de seu protagonista, um iraquiano que viaja clandestinamente do Iraque à Albânia e, de lá, à França, até chegar a Londres.

– Persépolis (Persepolis, Dir. Marjane Satrapi, França, 2007, 95 min): cinebiografia em animação realizada pela artista Marjane Satrapi sobre a Revolução Iraniana, que acabou oprimindo as mulheres e a esquerda política devido ao fundamentalismo religioso, afetando os costumes de toda uma nação por gerações.

– Afterimage (Afterimage, Dir. Andrzej Wajda, Polônia, 2016, 98 min): último filme do consagrado diretor Wajda, aborda a cinebiografia de Wladyslaw Strzeminski, artista de vanguarda que viveu grandes dificuldades na Polônia da era stalinista devido ao jdanovismo que imperou nas concepções esquemáticas artísticas àquela altura no Leste Europeu.

Sobre o Professor: Claudinei Cássio de Rezende é professor de História da Arte na PUC-SP, doutor e mestre em Ciências Sociais pela Unesp (Fapesp), bacharel e licenciado em Ciências Sociais e licenciado e especialista em História. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História: Trabalho, Ideologia e Poder (NEHTIPO – PUC/SP CNPq) vinculado à linha de pesquisa Ontologia, História e Arte. Possui um livro publicado pela Editora Unesp, escolhido pelo Programa de Pós- Graduação em Ciências Sociais da Unesp. Atualmente é pós-doutorando em História Moderna pela PUC-SP.