Notícia

DCI

Cresce Parque Tecnológico de S. José

Publicado em 29 março 2012

Por Júlio Ottoboni

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - A Associação Parque Tecnológico de São José dos Campos divulgou o Relatório Anual de Atividades de 2011, que revela uma expansão no volume de empregos e de investimentos no local.

Considerado um exemplo de sucesso entre os parques tecnológicos do País, o núcleo conta com parcerias com a Embraer, Vale Soluções em Energia, Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre outras importantes.

Entre os principais pontos publicados estão a ampliação de centros de educação, ensino superior e pesquisa tecnológica, qualificação profissional, geração de empregos, novas empresas instaladas e a evolução dos empreendimentos e projetos.

Criação de empregos

A evolução dos empreendimentos e projetos no ambiente do Parque Tecnológico gerou a criação de 1.029 postos de trabalho diretos e indiretos, um recorde que superou inclusive as expectativas de sua direção e da prefeitura de São José dos Campos.

O número representa um aumento aproximado de 130% na comparação com 2010, quando haviam 450 empregados.

Os investimentos em projetos somaram R$ 1,1 bilhão, divididos entre município, estado, União e setor privado.

Cada real, multiplicado

Deste montante, R$ 71,5 milhões foram oriundos da prefeitura, fazendo com que cada real aplicado pelo município fosse multiplicado por 16 em relação ao somatório dos valores investidos no ano de 2011.

Somente no centro empresarial pioneiro, 25 empresas de base tecnológica estão associadas e abrigadas em um espaço de 5.826 metros quadrados. Elas atuam no segmento de tecnologia da informação e comunicação (TIC), instrumentação eletrônica, geoprocessamento, aeronáutica e na área biomédica.

Diferencial

A qualificação tem sido o grande diferencial no desenvolvimento de novos produtos e dos profissionais que atuam nestas empresas, que agrega ainda o Centro para Competitividade e Inovação do Cone Leste Paulista, o Cecompi. Da mão de obra empregada, mais de 60% possuem ensino superior, 18% com titulação de mestre e 11% com doutorado.

Durante o exercício de 2011, o fomento para o desenvolvimento de projetos científicos e tecnológicos para fundações e agências de fomento mereceu destaque no levantamento.

Revolucionário

Entre os projetos, o de maior relevância foi a produção de resveratrol a partir de levedura da cana-de-açúcar - considerado um componente revolucionário na área da saúde, sensoriamento aéreo com Veículos Aéreos Não Tripulados (Vants) em cultivo de cana-de-açúcar, Laboratório de Ensaio e Qualificação Aeroespacial de Equipamentos Eletrônicos em Radiofrequência e Laboratório de Verificação e Validação de Software Aeroespacial para Aplicações Críticas, entre outros.

Linhas de crédito

O parque também tem conseguido linhas de crédito para suas empresas. Nove delas submeteram um total de 14 projetos a instituições como a Financiadora de Estudo e Projetos (Finep), Banco nacional de Desenvolvimento (BNDES), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que foram acolhidos.

Elas receberam cerca de R$ 1 milhão com um saldo a de aproximadamente R$ 11,2 milhões para os próximos anos. Outras 14 empresas receberam investimentos diretos de terceiros ou investiram com recursos próprios, destinados a 22 outros projetos.