Notícia

Vale Paraibano online

Cptec pode se tornar 6º maior do mundo

Publicado em 12 setembro 2008

Por Alexandre Alves

O Ministério da Ciência e Tecnologia e o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) iniciaram nesta semana o processo de licitação internacional para a compra de um supercomputador com capacidade de processamento de 15 trilhões (15 teraflops) de operações matemáticas por segundo. Hoje, com a ajuda de dois supercomputadores e mais 1.100 processadores, a capacidade chega a 5,7 trilhões de operações por segundo.

O equipamento, que será usado para simulações avançadas das mudanças climáticas globais, ficará no Cptec (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos), em Cachoeira Paulista.

Segundo Carlos Nobre, pesquisador do Cptec, o sistema computacional colocará o Brasil na sexta colocação entre os países com maiores centros mundiais de supercomputação dedicados à elaboração de cenários climáticos futuros. Levando-se em conta todas as aplicações do equipamento, o sistema figurará entre os 50 maiores do mundo.

"Ele nos colocará em um clube de 15 países que têm essa capacidade de modelagem climática. Desses, apenas a China e a Coréia do Sul são nações em desenvolvimento", afirmou Nobre, em nota.

De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia, o supercomputador deve ser instalado no primeiro semestre de 2009. A previsão é que a licitação seja encerrada até o final do ano.

O valor total do investimento para a compra do equipamento é de R$ 48 milhões, sendo R$ 24 milhões provenientes da Finep (Fina/ciadora de Estudos e Projetos) do Ministério da Ciência e Tecnologia e R$ 13 milhões da Fapesp (Fundação de Apoio à Pesquisa de São Paulo). Mais R$ 11 milhões virão do governo federal para obras de infra-estrutura.

"Estamos iniciando o processo de licitação internacional para a compra do supercomputador", informou Nobre, ressaltando que o equipamento dará ao Cptec a capacidade de elaborar cenários de mudanças climáticas globais a partir de modelos do sistema climático mundial. Hoje, segundo ele, esta tecnologia é dominada por apenas 10 países no mundo.

Capacidade

O novo supercomputador elevará em mais de 50 vezes a capacidade de processamento que o Inpe dispõe hoje. Nobre explicou que isto permitirá que o Brasil simule as mudanças climáticas globais nas próximas décadas e séculos.

Para tanto, 30% do tempo do supercomputador será reservado para projetos apoiados pelo Programa Fapesp de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais, lançado no fim de agosto deste ano.

Primeiro

Adquirido em 1997, o primeiro supercomputador brasileiro, modesto para os padrões atuais, foi trocado por um segundo equipamento mais moderno entre 2001 e 2004, o que colocou o país entre as 40 nações com maior capacidade para a área de meteorologia e clima.

Nobre destacou que o terceiro supercomputador a chegar ao Cptec permitirá que o centro alcance maiores índices de acerto na previsão climática de curto prazo e nas previsões numéricas de tempo.