Notícia

Notícias de Campinas

Coronavírus: Laboratório da Unesp em Araraquara amplia potencial de testagem

Publicado em 14 maio 2020

Com novos equipamentos, local poderá processar até 500 amostras por dia de testes relacionados à doença COVID-19

Certificado pelo Instituto Adolfo Lutz, o Laboratório de Imunologia Clínica e Biologia Molecular (LICBM), da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), do campus de Araraquara, tem agora capacidade para realizar até 500 testes por dia de diagnóstico de COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus), do tipo Polymerase Chain Reaction (PCR) – ou Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real –, que manipula material genético do vírus.

O LICBM tem Nível de Biossegurança NB3, em uma escala que vai até 4. Ele integra, desde 1997, a Rede Nacional de Laboratórios de Carga Viral para HIV e Hepatites Virais do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) do Ministério da Saúde e, em 2007, foi credenciado pelo Governo Federal como laboratório para exames de biologia molecular.

Para conseguir processar até 500 exames por dia, o LICBM recebeu emprestado mais dois equipamentos para as reações de RTqPCR. Um proveniente do Departamento de Engenharia Ambiental do Instituto de Ciência e Tecnologia da Unesp, do campus de São José dos Campos, cedido pela professora Gabriela Ramos Hurtado, e outro do Departamento de Ciências Químicas e Biológicas do Instituto de Biociências da Unesp, do campus de Botucatu, disponibilizado pelo professor João Pessoa Araújo Júnior. São agora três equipamentos disponíveis para o processamento das amostras.

Insumos

O coordenador do LICBM-FCF/Unesp, em Araraquara, no interior do estado, professor Paulo Inácio da Costa, conta que para atingir a capacidade total citada serão necessários o recebimento de insumos, reagentes e recursos humanos especializados dedicados à realização dos testes moleculares.

Para suprir a demanda, a equipe tem trabalhado, de segunda-feira a sábado, até 16 horas por dia. O coordenador acredita que a situação vai melhorar com a liberação do acesso ao Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), do Ministério da Saúde, que permite o gerenciamento das rotinas, o acompanhamento das etapas para realização dos exames, ensaios e a obtenção de relatórios epidemiológicos e analíticos em saúde pública, ao alcance de todos os municípios.

“Com a liberação do uso do sistema GAL pelo Instituto Adolfo Lutz, o nosso trabalho será dinamizado, porque os municípios poderão entregar o material coletado devidamente cadastrado no sistema e com possibilidade de impressão de etiquetas com código de barras. O que diminuirá muito o tempo e pessoal para o cadastro e emissão de laudos”, explica o coordenador do laboratório ao Portal da Unesp.

Apoio

Dos 40 mil testes que serão realizados no interior de São Paulo pela Parceria Unesp-Embraer, firmada recentemente, cerca de 15 mil serão destinados aos municípios da região de Araraquara. Inicialmente, os exames serão realizados no LICBM, mas posteriormente contarão com o apoio dos Laboratórios de Estudos Genômicos do Departamento de Biologia do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, do campus de São José do Rio Preto, coordenado pela professora Paula Rahl, e do Laboratório de Virologia e Diagnóstico Molecular do Instituto de Biociências da Unesp, do campus de Botucatu, dirigido pelo professor João Pessoa Araújo Junior.

“Antes do convênio entre a Unesp e a Embraer, o laboratório realizava os testes diagnósticos com doação de reagente [primers e sondas] pela Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara, além de materiais de pesquisa financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo [Fapesp]. Começamos com 30 testes por dia, mas já ultrapassamos a marca de 80 exames diários”, completa Paulo Inácio da Costa.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
G1