Notícia

Metropóles

Coronavírus: equipamento brasileiro otimiza uso de respiradores

Publicado em 09 abril 2020

Tecnologia desenvolvida por startup paulista já é usada em hospitais na Itália, Espanha e nos EUA no tratamento de pacientes com a Covid-19

Os respiradores são equipamentos essenciais para os pacientes infectados pelo novo coronavírus internados em estado grave. Uma tecnologia desenvolvida por cientistas brasileiros visa otimizar o uso do equipamento através de um tomógrafo por impedância elétrica (TIE).

O equipamento desenvolvido pela startup paulista Timpel já é usado em hospitais na Itália, Espanha e nos Estados Unidos no tratamento de pacientes com Covid-19. No Brasil, ele é utilizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FM-USP), Hospital Emílio Ribas, Instituto do Coração (Incor) e em hospitais privados de São Paulo.

O tomógrafo emite uma corrente elétrica de baixa intensidade ao redor do tórax do paciente através de uma cinta com 32 eletrodos. O aparelho é livre de radiação e, segundo a empresa, “os sinais elétricos são inofensivos ao tecido e, portanto, adequados para uso a longo prazo”.

O equipamento diminui o tempo de dependência de ventilação mecânica pois permite monitorar a ventilação artificial em pacientes em tratamento intensivo. À medida que atravessa o tórax e encontra diferentes resistências no percurso, a corrente elétrica indica a região dos pulmões por onde o ar está circulando.

Isso ajuda o médico a ter informações mais rápidas sobre a distribuição e a dinâmica de injeção de ar no pulmão ainda no leito do hospital, em tempo real, para que a equipe médica possa avaliar com mais rapidez a melhor estratégia de ventilação para o paciente.

O equipamento presente no leito também reduz a necessidade de transportar os doentes por coronavírus para a sala de radiologia com frequência. “Uma operação muito arriscada para pacientes com Covid-19, que precisam ser mantidos em isolamento”, disse o presidente da startup, Rafael Holzhacker. (Com informações da Agência FAPESP)

Pesquisa para Inovação FAPESP: http://pesquisaparainovacao.fapesp.br/