Notícia

Quimiweb

Coordenador do Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias recebe a medalha Armando Salles de Oliveira

Publicado em 13 julho 2021

Por Agência FAPESP*

O professor da Universidade de São Paulo (USP) Fernando de Queiroz Cunha foi homenageado com a medalha Armando Salles de Oliveira por estudos que ajudam a entender os impactos da resposta imunológica desencadeada no organismo pelo novo coronavírus e por outros agentes infecciosos.

Os trabalhos são realizados no Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP).

Um dos trabalhos coordenados por Cunha mostrou que um mecanismo imunológico conhecido como armadilha extracelular neutrofílica (NET, na sigla em inglês) está envolvido na resposta inflamatória exacerbada que acomete pacientes com a forma grave da COVID-19. A descoberta abre caminho para novas abordagens terapêuticas, entre elas o reposicionamento de um fármaco hoje usado contra fibrose cística (leia mais em: agencia.fapesp.br/33435/).

Outro estudo conduzido no CRID, sob a coordenação do professor Dario Zamboni https://bv.fapesp.br/pt/pesquisador/2858/dario-simoes-zamboni, descreve a participação de um mecanismo imunológico conhecido como inflamassoma na ativação do processo inflamatório que pode causar danos em diversos órgãos e até mesmo levar à morte os pacientes com a forma grave da COVID-19 (leia mais em: agencia.fapesp.br/34680/).

A medalha Armando Salles de Oliveira foi criada em 2008 para homenagear pessoas, entidades e organizações que contribuem para a valorização institucional, cultural, social e acadêmica da USP e leva o nome do governador do Estado de São Paulo que assinou o decreto de criação da USP no ano de 1934.

Em entrevista ao portal do CRID, Cunha ressaltou que a condecoração não é somente dele. “Ela pertence a todos os membros do centro que trabalham para entender a imunopatologia da COVID-19 e, nos últimos meses, tentam desenvolver novos medicamentos para tratamento dessa doença”, disse o docente.

* Com informações do portal do CRID.

 

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
ABC - Academia Brasileira de Ciências