Notícia

Revista Sustentabilidade

Cooperação entre Fapesp e MCT possibilitam criação de 35 novos centros de pesquisa em SP

Publicado em 06 maio 2011

 

O governo federal e o Estado de São Paulo vão investir mais de R$ 180 milhões na construção de 35 novos centros de produção científica e tecnológica no estado de São Paulo, selecionados por meio do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia, informou a Agência Fapesp.

Os institutos foram selecionados entre as 261 propostas recebidas após a publicação do edital publicado no dia 4 de agosto. Os projetos aprovados em outros estados serão divulgados no dia 27 de novembro.

Dos recursos disponíveis, serão destinados 35% para os projetos nos estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, 15% para o Sul e 50% para os do Sudeste, esta última região foi a que enviou a maioria das propostas.

Em São Paulo, os projetos aprovados são das áreas de humanas, biológicas e exatas. Alguns exemplos são os estudos sobre violência e segurança pública, obesidade, diabetes e álcool, e mudanças climáticas.

O apoio da Fapesp permitiu a duplicação dos recursos federais investidos em São Paulo para criação de institutos no estado. A fundação também propôs que as duas instituições aprovassem valores adicionais de R$ 25 milhões em razão da alta qualidade das propostas verificada durante o processo de análise.

Para Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor-científico da Fapesp, os institutos selecionados estimularão a produção científica paulista e brasileira, o desenvolvimento de aplicações e a formação de estudantes, além de permitir a colaboração científica entre grupos de pesquisa de várias regiões do país.

Segundo o MCT, os institutos deverão ocupar posição estratégica no Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia, tanto pela sua característica de ter um foco temático em uma área de conhecimento, para desenvolvimento à longo prazo, como pela complexidade maior de sua organização e porte do financiamento.

Cada instituto será constituído por uma entidade sede e por uma rede de grupos de pesquisa organizados regional ou nacionalmente. O desempenho de cada instituto constituído será acompanhado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e por um Comitê de Coordenação, com representação da Fapesp. A avaliação do programa será feita pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) do governo federal.