Notícia

Diário de Pernambuco

Controle

Publicado em 13 novembro 2005

Imagine manter a água de pequenos açudes localizados nas regiões mais secas da Terra e os benefícios que isso pode acarretar. Talvez a mágica seja possível. Em setembro, o espelho d'água do Anexo 1 da Câmara dos Deputados, em Brasília, perdeu menos água do que de costume. O feito, apresentado na semana passada, na Câmara, foi possível através de uma mistura de surfactantes.

As substâncias, misturadas com calcário, formaram  um filme ultrafino na superfície da água e reduziram a evaporação. Segundo o idealizador do produto, o engenheiro químico Marcos Gugliotti, a evaporação diária em 21%. A substância foi aplicada, em forma de pó, uma parte do reservatório com área aproximada de 13 mil metros quadrados, que é normalmente mantido cheio, com 4 milhões de litros de água. A evaporação média de 5,88 milímetros do espelho representa uma perda diária de 76.440 litros.
A fase final de testes deverá ser realizada nos pequenos açudes da região Nordeste. O projeto está sendo financiado pela Fapesp.