Notícia

Associação Paulista de Jornais

Contexto Paulista: São Paulo entra na quarta revolução industrial com órgão no IPT

Publicado em 25 agosto 2019

A criação do Centro para a 4ª Revolução Industrial, no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), anunciada esta semana na capital, significa na prática que o Estado de São Paulo se insere em rede dedicada à governança global de tecnologia ao lado da China, Japão, Estados Unidos, Índia, Israel e Emirados Árabes, entre outros países. O escritório é fruto de uma parceria entre o governo estadual, Ministério da Economia e o Fórum Econômico Mundial (WEF). “O centro irá traçar e pilotar políticas inovadoras”, afirma Marisol Argueta de Barillas, diretora para América Latina e membro do Conselho de Administração do Fórum Econômico Mundial. “Como parte da rede global do Fórum, as equipes irão trocar conhecimento e escalar os aprendizados globalmente”.

O que é

O conceito se popularizou depois do livro A Quarta Revolução Industrial, de Klaus Schwab, publicado em 2016. Se no final do século 17 a máquina a vapor impulsionou a primeira Revolução Industrial, desta vez serão os robôs e a inteligência artificial os responsáveis pela transformação. O cenário é de convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas. Será o fim do mundo como o conhecemos. A revolução da tecnologia vai alterar a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos.

Empreendedorismo

“Para alcançar o impacto e impulsionar a mudança no contexto da 4ª Revolução Industrial, é importante conectar governo, organizações empresariais, startups, sociedade civil, academia e organizações internacionais para elaborar políticas inteligentes e inovadoras”, diz a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen. Para o governo estadual, a iniciativa está alinhada com o objetivo de estimular a inovação e o empreendedorismo. O IPT, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do estado, abriu recentemente seu campus para que empresas privadas possam trabalhar em conjunto com startups, clientes, fornecedores, pesquisadores, investidores e órgãos governamentais.

Inovação paulista

A InvestSP, agência de promoção de investimentos, e o Instituto de Relações Internacionais da USP assinaram acordo que prevê a ação conjunta das duas instituições para a formulação de políticas de atração de investimentos para de São Paulo e promoção do Estado como polo científico internacional. O objetivo é executar ações para divulgar internacionalmente o potencial do Estado de São Paulo na área de inovação, atrair investimentos estrangeiros, além de estimular parcerias entre empresas estrangeiras e instituições de pesquisas paulistas e a instalação de centros de P&D de multinacionais. “São Paulo é uma região aberta aos negócios com todo o mundo”, afirma Torquato Jardim, vice-presidente da agência paulista.

Biogás mostra força

O potencial de energia elétrica gerada anualmente a partir de biogás no Estado de São Paulo é de 36.197 Gwh, o que corresponde a 93% do consumo residencial no Estado. Os dados constam do relatório da Fapesp-Shell-Research Center for Gas Innovation (RCGI) com o tema Biogás, Biometano e Potência Elétrica em São Paulo. Os mapas estimam o potencial de produção de biogás e biometano no Estado e o potencial elétrico a partir do biogás, por município, de acordo com três fontes principais: resíduos de criação animal, resíduos urbanos e setor sucroalcooleiro.

Jornais à frente

O jornal é o meio de informação mais utilizado pelos parlamentares, segundo pesquisa da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (Anabb) divulgada nesta quinta-feira em sessão solene no Congresso Nacional. A informação é do portal Jornalistas & Cia. O levantamento foi encomendado ao instituto DataPoder360 sobre hábitos de informação dos parlamentares da atual legislatura e as formas como interagem com eleitores pelas redes sociais. De acordo com o levantamento, jornal é o meio de informação mais utilizado por eles, com 20% da preferência, à frente da televisão (17%) e de portais de notícias (16%). As redes sociais são usadas por 15% dos congressistas, junto com revistas e rádios, empatados com 13%. Entre os meios com menor utilização entre deputados e senadores estão newsletters, com 4%, e podcasts, com apenas 2% de preferência.

Breves

· A Nestlé fará investimentos de R$ 1 bilhão em São Paulo ao longo dos próximos três anos em novas linhas das fábricas de Caçapava e Araçatuba.

· O câmpus da Unesp em Tupã iniciou as atividades do curso de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento.

· O Itaú Social e a Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca) lançaram o projeto Jornalismo de Educação para fomentar a produção de qualidade sobre a educação pública brasileira.

· A AES Tietê inaugurou os complexos solares Guaimbê e Ouroeste, em Bauru.

· Uma startup de Ribeirão Preto desenvolveu novos tipos de remédios por meio da nanotecnologia, entre eles o ômega 3 hidrossolúvel. A vantagem é ser ingerido sem cápsula.