Notícia

LabJor - Oficina de Jornalismo Científico Unicamp

Contaminação ambiental vira caso de perseguição política na Noruega

Publicado em 05 novembro 2018

A Noruega é conhecida pelos encantos da aurora boreal, a beleza fascinante dos fiordes e a diversidade de receitas com bacalhau. Mas o que pouca gente sabe é que uma das maiores forças do país são seus recursos energéticos fósseis, como petróleo e gás. A riqueza geotermal impacta também na economia de pequenas cidades, como a estância turística de Neiks, situada na costa sul do país. Neiks recebe, em média, 110 mil turistas por ano, interessados no sossego e no potencial terapêutico de suas águas quentes.

Mas a tranquilidade da cidade foi abalada na última semana, quando o medico Thomas Stockmann foi acusado de ser inimigo do povo em uma assembleia municipal. O objetivo da assembleia era discutir a denúncia feita pelo médico a respeito de um caso de contaminação na estação termal, onde ele trabalhava. O caso veio a público após confirmação de exames laboratoriais feitos em amostras de água da estação, a pedido de Stockmann. “Nossa cidade sempre foi considerada um lugar salubre, recomendado calorosamente para doentes e para pessoas sadias. No entanto, nosso estabelecimento de banhos é perigosíssimo para a saúde pública, recebendo resíduos de Moelledal que infectam a água da canalização que vai para o reservatório e, depois, para a praia”, afirma o médico.

Moelledal é uma localidade situada acima da região de onde a água da estação termal é captada. Lá, a indústria de curtume, responsável pelo processamento do couro cru, é bem desenvolvida, mas traz consigo uma grande carga de resíduos. O resíduo mais comum dos estabelecimentos de curtume são metais pesados, especialmente o crômio trivalente ou Cr (III). Devido ao custo elevado do acondicionamento em aterros, cerca de 90% dos resíduos do processamento do couro produzidos no mundo são eliminados diretamente no ambiente, sem qualquer tratamento prévio. Em altas concentrações, o crômio trivalente é tóxico e pode prejudicar o sistema imunológico humano e causar danos na estrutura da membrana de hemácias, células responsáveis pelo transporte de oxigênio na corrente sanguínea. A estrutura de proteínas e do DNA também pode ser afetada. Além de metais pesados, resíduos orgânicos também são descartados no processamento do material, o que causou a entrada de um microorganismo infeccioso no sistema de abastecimento termal.

Lagoa de água termal escandinava. Fonte: Pixabay.

A suspeita de contaminação começou com casos isolados de infecção tifóide e problemas gástricos apresentados por banhistas na última temporada de outono. A princípio, pensou-se que as infecções fossem trazidas por turistas, mas, após análise da água municipal, essa possibilidade foi descartada. Para resolver o problema da contaminação, é preciso alterar o sistema de canalização da água da estação termal, transferindo-o para uma região acima da concentração de indústria de curtume. Segundo Stockmann, o projeto da estação já apresentava erros em sua concepção. “Escrevi contra o projeto no momento em que o iriam realizar. Mas, naquela época, ninguém me deu ouvidos”, lamenta. A falta de atenção ao problema em parte se deveu à urgência da administração pública na construção e inauguração do estabelecimento, que se tornou a principal fonte de renda do município.

Fontes internas ao “Mensageiro do Povo”, maior jornal da cidade, afirmam que a denúncia feita por Stockmann seria veiculada pela imprensa local como forma de suscitar o debate na comunidade e criticar a cúpula de governantes constituída essencialmente pela elite. Mas os planos mudaram após um acordo entre Hovstad e Billing, editores do jornal, e Peter Stockmann, prefeito da cidade e irmão do médico. Para o prefeito, a denúncia de contaminação é exagerada e seria prejudicial à economia do município, pois a reforma do sistema de canalizações levaria no mínimo dois anos para ser finalizada e custaria centenas de milhares de coroas norueguesas. “Apesar do parentesco que me liga ao denunciante, minha preocupação em zelar pelos interesses vitais da cidade me faz ser contra a difusão de murmúrios sem fundamento sobre as condições sanitárias da estação termal. O sistema estabelecido é de qualidade e deve ser aceito como tal. Isso não quer dizer que a direção se recuse a examinar, a seu tempo, os aperfeiçoamentos que se possam fazer, sem que isso lhe acarrete encargos acima de suas forças”, declara o prefeito.

A suposta ameaça de desestabilização da economia e repercussão de efeitos negativos sobre a classe média fez com que Aslaksen, presidente da associação dos proprietários de casas, também retirasse o apoio da associação à reforma. “Creio que no movimento provocado pelo doutor [Stockmann] haja segundas intenções. Ele fala do estabelecimento, mas o que ele medita, realmente, é uma revolução. Ele quer transferir o poder para outras mãos. Também sou partidário do governo do povo pelo povo, contanto que isso não custe muito caro ao contribuinte. Mas esse seria o caso aqui. Eis porque não posso acompanhar o doutor Stockmann neste negócio”, diz Aslaksen.

Etapas finais de processamento de couro. Fonte: Química.com

Como forma de solucionar o impasse entre o médico e outros grupos sociais, a cidade realizou uma assembleia para discutir o assunto. No entanto, a assembleia foi marcada pela censura da fala do médico pelos dirigentes e pela manipulação da opinião pública pelo prefeito da cidade e pelos editores do jornal, que alegaram serem falsas as informações apresentadas por Stockmann. O resultado foi uma votação para considerar o médico como inimigo do povo, decisão acatada quase que por unanimidade pelos presentes, com exceção de um dos votantes. Após a assembleia, o médico e sua família passaram a enfrentar uma forte perseguição política, com demissão tanto de Stockmann quanto de sua filha, que era professora na escola local. Além da perda de emprego, a família Stockmann teve sua casa apedrejada e foi notificada de despejo pelos proprietários de sua residência. Até a mudança de país, planejada com o apoio do amigo da família e comandante de navio Horster, foi frustrada pela demissão do comandante.

A censura e perseguição sofridas por Stockmann revelam como interesses econômicos podem se sobrepor à saúde pública e como a omissão da imprensa prejudica o debate democrático. O problema da contaminação segue na pequena cidade norueguesa, embora caminhos para a solução pudessem ser vislumbrados caso houvesse interesse político. Além da reforma do sistema de abastecimento da estação termal, seria preciso investir em novas práticas da indústria de curtimento. Apesar dos danos causados pelo descarte incorreto dos resíduos de crômio, mais de 80% dos curtumes do mundo continuam a utilizar cromo no processo do curtimento do couro. Isso porque o preço dessa técnica é mais barato comparado àquelas que utilizam outros metais no processo. A opção de menor impacto ambiental é a que utiliza tanino – um composto de origem vegetal – em substituição aos metais pesados. Uma pesquisa realizada pela Embrapa São Carlos revelou que o produto curtido com tanino apresenta a mesma resistência do que o curtido com metais. No entanto, existe uma barreira financeira ao uso dessa técnica mais adequada ambientalmente, pois ela é mais cara do que as demais e pouco acessível para as indústrias.

Para Stockmann e família, a luta para a reforma do abastecimento e uma modificação política na cidade continua e passa pela educação. “Farei dos meus filhos homens livres e distintos. As aulas serão dadas, com ajuda da minha filha Petra, no salão onde fui tão insolentemente proclamado inimigo do povo. Mas é preciso que sejamos um grupo. Meus filhos trarão outros garotos. E, quando forem livres e distintos, escorraçarão os lobos [chefes de partido] para além das montanhas”, declara Stockmann.

A agência ambiental do condado de Tilemark, onde Neiks se localiza, coletou novas amostras de água na estação como parte de uma investigação complementar sobre o caso. “Se a contaminação se confirmar, aplicaremos as sanções necessárias às autoridades locais e aos proprietários da indústria de curtume pelo não tratamento de resíduos”, garante Henrik Nesbi, secretário de meio ambiente do condado. Medidas de adequação ambiental também foram propostas pelo empresário Martin Kill, dono de um dos maiores curtumes da região e sogro de Stockmann. No centro das acusações de contaminação, Kill comprou parte das ações do estabelecimento balneário e afirmou que, se necessário, financiará parte das reformas do encanamento de água.

* Essa é uma matéria ficcional, baseada na obra “Um inimigo do povo”, de Henrik Ibsen.

Luanne Caires é bióloga e mestre em Ecologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente faz especialização em Jornalismo Científico no Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor – Unicamp) e integra o programa Mídia Ciência (Fapesp).