Notícia

Portal Fator Brasil

Consórcio holandês BE-BASIC e FAPESP apoiam pesquisa sobre impactos da produção de biocombustíveis

Publicado em 25 novembro 2010

Acordo prevê financiamento por até cinco anos a projetos para avaliar os reflexos sociais, econômicos e ambientais do consumo de energia de fontes renováveis.

Tecnologias com potencial de aplicação para a indústria do etanol serão o alvo principal das pesquisas apoiadas pelo consórcio holandês BE-BASIC (sigla em inglês para indústria química baseada em recursos biológicos renováveis, ecologicamente equilibrada e sustentável) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) - em seu Programa de Pesquisa em Bioenergia, BIOEN. A discussão de temas que poderão ser desenvolvidos no âmbito do acordo entre as duas instituições acontecerá durante o Workshop sobre Impactos Ambientais, Sociais e Econômicos dos Biocombustíveis, organizado pelo BIOEN.

Formado por onze universidades, quatro institutos de pesquisa e dez empresas - sob a coordenação da Universidade de Tecnologia de Delft, na Holanda -, o BE-BASIC conta com um orçamento de 120 milhões de euros para pesquisa, desenvolvimento e inovação pautados por critérios de sustentabilidade socioambiental e competitividade.

O Workshop discutirá interesses comuns entre a organização europeia e a FAPESP. Envolve questões sobre o potencial de desenvolvimento da indústria sucroalcooleira e da agricultura pela expansão e intensificação da produção de biocombustíveis, a relação dessa produção com a proteção da vegetação natural e legislação ambiental, e o etanol obtido a partir da biomassa da cana. A educação e a comunicação é outra vertente do acordo. Projetos nessa área pretendem levar a alunos de todos os níveis do ensino informações sobre efeitos da produção de bioenergia para apoiar decisões conscientes de consumo.

Programa BIOEN - Lançado em julho de 2008, o Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN) estimula e faz articulação de atividades públicas e privadas de pesquisa para produção de biocombustíveis. A iniciativa conta com investimentos iniciais de R$ 73 milhões em projetos em três linhas de pesquisa: produção de biomassa para bioenergia, processos de fabricação de biocombustíveis e pesquisas sobre impactos. Nas próximas chamadas, o programa avaliará propostas sobre aplicações do etanol para motores automotivos (motores de combustão interna e células a combustível), biorrefinarias e alcoolquímica.

[Workshop sobre Impactos Ambientais, Sociais e Econômicos dos Biocombustíveis, dia 25 de novembro (quinta-feira), das 9h às 17h30, no Espaço APAS, rua Pio XI, 1200, São Paulo.| www.fapesp.br/bioen/evento/impacts].