Notícia

Revista Pesquisa Médica

Conhecimento sem fronteiras

Publicado em 01 janeiro 2009

Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia incluirão pesquisadores de regiões menos favorecidas

Quinhentos milhões de reais é o valor estimado para o fomento dos projetosaprovados para integrar os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia, programa de incentivo à pesquisa lançado pelo governo federal no fim de 2008. É o maior investimento já feito em redes de pesquisa no País. Cerca de 40% do valor será destinado às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Os institutos funcionarão de forma multicêntrica, sob a coordenação de uma instituição sede de competência reconhecida em sua área de pesquisa. Serão implantados 101 institutos, em parceria com alguns Estados, nos próximos três a cinco anos. De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia, o objetivo é consolidar o sistema de pesquisa brasileiro.

As Fundações de Amparo à Pesquisa dos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo (Fapemig, Faperj e Fapesp) participam do programa, co-financiando as propostas das instituições-sede em seus respectivos Estados. As fundações investirão até o limite de 30, 30 e 75 milhões de reais, respectivamente, com alocação de recursos próprios, o que permitirá a ampliação no número de Institutos Nacionais a ser contemplado. A adesão da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) permitirá a ampliação da atividade de formação de recursos humanos do programa, com recursos estimados em 30 milhões de reais, para bolsas em diferentes modalidades.