Notícia

Secad

Conheça os benefícios das atividades físicas em pacientes com doenças respiratórias

Publicado em 12 agosto 2019

Segundo uma pesquisa divulgada em 2015 pelo Ibope, cerca de 44% dos brasileiros apresentam sintomas de doenças respiratórias – como tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito. O estudo, que analisou cerca de 2 mil pessoas de 18 a 65 anos, concluiu que entre os problemas mais comuns estão asma alérgica, bronquite crônica, rinite e enfisema pulmonar.

Se os sintomas costumam aparecer em quase a metade da população, a incidência de doenças respiratórias atinge, efetivamente, 20% dos brasileiros e é a quarta maior causa de hospitalizações no país. Os dados são da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Na maioria dos casos, pacientes com problemas respiratórios acabam deixando de praticar atividades físicas por conta do cansaço e fadiga. No entanto, a adoção de um estilo de vida sedentário tende a agravar os sintomas das doenças respiratórias. Com a prática de exercícios adequados, é possível fortalecer as vias respiratórias e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Um estudo da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), feito em conjunto com as Universidades de Toronto e Western Ontário, ambas no Canadá, revelou que a prática de exercícios físicos é a maneira mais eficiente de reduzir os sintomas de doenças respiratórias.

É fundamental que qualquer profissional de educação física busque qualificação. A atualização constante permite ao profissional avaliar cada quadro e preparar os exercícios adequados aos diferentes tipos de condição de saúde.

Nesse cenário, vale considerar os cursos online para garantir o aprimoramento da prática profissional.

Confira os principais cuidados e exercícios recomendados para pessoas com doenças respiratórias:

Cuidados

Antes que o profissional de educação física monte um plano de exercícios físicos para o aluno, é necessário tomar as seguintes precauções:

Não aplicar exercícios fora da casa do paciente quando as temperaturas estiverem muito altas, muito baixas ou com clima seco; Evitar orientar exercícios em piscinas com cloro – especialmente para portadores de rinite. Isso pode provocar uma rino-sinusite no aluno; Caso o paciente use medicamentos vasodilatadores, é recomendado o consumo antes das atividades físicas, uma vez que eles favorecem a ventilação e evitam os broncoespasmos. Principais exercícios recomendados

– Natação: a prática é benéfica por fortalecer o diafragma e os músculos respiratórios auxiliares. O ar inalado durante a natação é mais quente e úmido, fator que provoca menos broncoespasmos. O exercício ainda proporciona relaxamento, controle respiratório, melhoria nos problemas posturais e controle corporal.

– Caminhada: melhora o condicionamento físico do paciente, auxilia no controle da respiração e é eficaz no combate a doenças como obesidade, hipertensão e diabetes. Até mesmo uma leve corrida pode ser indicada. No entanto, é importante orientar as caminhadas em horários mais frescos, pela manhã ou no fim de tarde. Lugares arborizados e longe do ar poluente também são bem-vindos.

– Bicicleta: praticar exercícios físicos na bicicleta auxilia no controle da respiração e melhora, de forma contínua, o condicionamento físico do paciente. Além dos benefícios respiratórios, pedalar fortalece os músculos da perna e do coração, melhora a circulação do sangue e queima calorias. Andar de bicicleta gera menos impacto sobre as articulações, quando comparado a um exercício de caminhada ou corrida, já que o peso do corpo é melhor distribuído e trabalhado.