Notícia

Central das Notícias

Conheça a nova espécie de planta carnívora brasileira

Publicado em 31 janeiro 2020

Recentemente, uma nova espécie de planta de carnívora foi descoberta no Brasil. Além disso, com a descoberta, a nova espécie brasileira de planta carnívora homenageia o físico teórico Stephen Hawking.

Mesmo que recém-descoberta, a planta já sofre risco de extinção. Encontrada próxima à Serra da Canastra, em Minas Gerais, a espécie brasileira faz parte da biodiversidade do cerrado brasileiro.

Uma planta batizada em homenagem a Stephen Hawking

Em Jaboticabal, pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) nomearam sua mais recente descoberta, uma planta carnívora, em homenagem ao físico britânico, Stephen Hawking. Sendo ela natural do próprio cerrado, a Genlisea hawkingii integrou parte de um artigo publicado na revista PLOS ONE. Para mais informações sobre o estudo, basta clicar aqui.

Para sua publicação, a pesquisa obteve apoio da FAPESP. Com isso, ela foi coordenada pelo professor do Departamento de Biologia Aplicada à Agropecuária da Unesp, Vitor Fernandes Oliveira de Miranda, que considera Stephen Hawking um exemplo de dedicação, empenho e paixão pela ciência. "Mesmo acometido por uma doença grave, inspirou muitas pessoas, ligadas ou não à ciência, com sua genialidade e determinação. Por isso, nossa homenagem com essa espécie nova para a ciência", disse Miranda.

Dessa forma, o docente explica que a espécie foi descoberta há cerca de dois anos, na cidade de Delfinópolis, em Minas Gerais, em uma região adjacente aos limites do Parque Nacional da Serra da Canastra. Contudo, antes do estudo ser publicado, o grupo esteve procurando novos exemplares da espécie, em diversas expedições de campo. No entanto, todas elas foram sem sucesso.

Com tão poucas espécies encontradas, um alerta sobre a fragilidade da espécie foi levantado. Dessa forma, uma vez que ela foi encontrada fora de uma unidade de conservação, ela corre um sério risco de ser extinta. Dentro do bioma que a Genlisea hawkingii foi encontrada, "infelizmente, as áreas do cerrado estão sendo sistematicamente pressionadas e destruídas, pelas atividades da agricultura. Além de pecuária e, naquela região em particular, atividades de mineração", afirmou Miranda.

Recém-descoberta e já corre risco de extinção

Ainda no estudo, o professor de Jaboticabal explica que as espécies de Genlisea são muito conhecidas pelas ciência. Seja por seu hábito de carnivoria, que chama a atenção e é incomum em plantas, ou ainda, por possuírem os menores genomas descritos entre os vegetais. "Assim, essas espécies são muito importantes como modelo para estudarmos e compreendermos melhor os processos que norteiam a evolução dos genomas das plantas", explica o pesquisador.

Além disso, o pesquisador ainda esclarece que, para definir uma planta como nova espécie, ela precisa apresentar particularidades nas flores, nas cores ou no DNA. "No caso da Genlisea hawkingii, o formato da flor possui diferenças do que já conhecíamos. O cálcar da espécie (um apêndice da flor que armazena néctar para polinização) é curvo e há distintos tipos de pelos sobre as folhas e flores. Além disso, há outras diferenças no DNA quando comparado ao de outras plantas carnívoras", disse Miranda.

Dessa forma, muita gente pode se perguntar "que diferença faz uma planta nova?". Contudo, a verdade é que ainda há muito para ser descoberto. E, de acordo com o professor, cientistas brasileiros também serão homenageados, em futuras plantas carnívoras encontradas.