Notícia

SEGS Portal Nacional de Seguros & Saúde

Conferência internacional sobre materiais cerâmicos

Publicado em 30 junho 2014

José Arana Varela, diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp e professor titular do Instituto de Química da Unesp, Câmpus de Araraquara, presidiu a sessão de abertura do 13th International Ceramics Congress, realizado entre 8 e 13 de junho na cidade de Montecatini Terme, na Toscana, na Itália.

 

Varela foi o primeiro pesquisador brasileiro a ser convidado para coordenar a sessão de início do evento científico que integra o International Conference on Modern Materials and Technologies (Cimtec).

 

Organizada desde o fim dos anos 1960 na Itália, a série de conferências Cimtec foi lançada com o objetivo de estreitar as relações entre os pesquisadores da área de materiais dos países do Leste Europeu e os do bloco ocidental, em um momento em que a troca de informações entre eles estava restringida em razão da Guerra Fria.

 

“O evento do Cimtec reuniu nesta edição pesquisadores de, aproximadamente, 80 países, incluindo o Brasil”, disse Varela à Agência Fapesp.

 

“Em razão da própria gênese, a conferência acabou se tornando a mais internacional da área de materiais cerâmicos hoje”, afirmou o diretor da Fapesp, que também coordenou uma sessão sobre avanços em materiais eletrocerâmicos.

 

A programação do evento foi composta por uma série de simpósios, sessões especiais e conferências proferidas por destacados pesquisadores na área. Além da sessão de abertura, Varela também coordenou uma sessão sobre avanços em materiais eletrocerâmicos.

 

Entre os conferencistas esteve Nikolay Zheludev, professor de Física e vice-diretor do Centro de Pesquisa em Optoeletrônicos da University of Southampton, no Reino Unido, e diretor do Centro de Tecnologias Fotônicas da Nanyang Technological University, em Cingapura.

 

Zheludev apresentou uma conferência sobre metamateriais – estruturas compostas de materiais comuns, dispostos de forma específica a fim de modificar suas propriedades eletromagnéticas e criar comportamentos inexistentes na natureza.

 

Outro conferencista do evento foi Joanna Aizenberg, professora do Departamento de Química e Biologia Química da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas da Harvard University, nos Estados Unidos. A pesquisadora é uma das pioneiras na área de síntese biomimética de materiais inorgânicos – que se baseia em princípios biológicos para desenvolver novas rotas de materiais e dispositivos avançados.

 

“Os simpósios do congresso cobriram praticamente todas as áreas de pesquisa em materiais cerâmicos”, disse Reginaldo Muccillo, pesquisador do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen).

 

Muccillo foi um dos mais de 20 palestrantes brasileiros no evento – entre eles, pesquisadores com projetos de pesquisa apoiados pela Fapesp.

 

Ele é um dos pesquisadores principais do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDFM), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela Fapesp.

 

Em sua palestra o pesquisador abordou suas pesquisas mais recentes, realizadas no Ipen e no CDFM sobre "Flash Sintering" – técnica que permite desenvolver em um tempo muito curto e de forma econômica um material que será usado como sensor ou em fios para a produção de energia.

 

Posse na AMC

 

Durante a abertura do evento Muccillo também foi empossado como membro da Academia Mundial de Cerâmica (AMC).

 

O pesquisador foi o único brasileiro entre os 17 escolhidos em eleição realizada bienalmente pela entidade, fundada em 1987, com o propósito de promover o progresso no campo das cerâmicas e um melhor entendimento sobre o impacto social e sobre as interações culturais entre ciência da cerâmica, tecnologia, história e arte.

 

Mais informações sobre o Cimtec: www.cimtec-congress.org/index.php.