Notícia

DCI

Condomínio digital reduz custo de site na Web

Publicado em 22 junho 2001

Por Katia Arima e Robinson dos Santos
A cara infra-estrutura para hospedagem de sites, constituída de equipamentos de alto custo como servidores, roteadores, switches e no-breaks, está cada vez mais acessível a empresas de pequeno porte que querem marcar presença na Internet. Planos básicos oferecidos por empresas de Web hosting podem sair por menos de R$ 1 por dia - e garantem ao site uma hospedagem com segurança e suporte de profissionais especializados. A quantia é suficiente para pagar um espaço considerável em disco, contas de e-mail e, muitas vezes, até banco de dados. O serviço é recomendado pelos desenvolvedores de sites. "É melhor hospedar com quem entende, para ter mais segurança e evitar gastar uma fortuna com um servidor próprio", argumenta o diretor da Vila Virtual, Horst Kissmann. O suporte da Web host IFX é considerado bom por Rosângela Corrêa diretora da Boldtech, empresa desenvolvedora de sites. "É uma das razões que nos levaram a optar pela IFX para hospedar o site da Giant Cargo", disse. O site da empresa gerenciadora de cargas Giant Cargo precisa de um suporte ao recurso de CGI para seus serviços de consultas. "Esse tipo de serviço necessita de diretórios protegidos por senha e podemos acessá-lo por FTP ou pelo site da IFX a qualquer momento", explica Rosângela. MERCADO O setor de hosting tem um grande potencial de crescimento. O registro de domínios na Fapesp anda a ritmo acelerado: nos últimos 30 dias, o número foi maior que 14 mil. Um estudo da consultoria inglesa Ovum, concluído em março, revelou que a maioria das empresas no mundo (56%) não tem site na Web. Das que tem site, apenas 14% usam serviços de Web hosting. Mais animadora para o setor é a perspectiva de que ano de 2002 acontecerá o boom no Brasil da adesão aos Internet Data Centers (IDCs), local com infra-estrutura para prestação de serviço de hosting, tanto de ASP, conteúdo de sites e dados de empresas. A conclusão está em estudo divulgado na semana passada pela consultoria The Strategis Group, que estima que o volume de negócios irá quintuplicar até 2005, atingindo faturamento de US$ 735 milhões. As empresas brasileiras do setor confirmam que o mercado está aquecido e é promissor. Mas ressalvam que está menos agitado que no ano passado, tempos de euforia no ramo da Internet. "Neste ano, o mercado voltou a aquecer de forma mais lenta, depois da retração natural do segundo semestre do ano passado, mas o crescimento tende a continuar", diz o diretor da empresa de Web hosting Digiweb Brasil, Jean Andradis. A maioria dos 9 mil clientes da Digiweb é de pequeno e médio porte. Outra empresa brasileira de Web hosting, a Locaweb, cuida da hospedagem de 13 mil sites e recebe 50 novos clientes por dia. "Estamos trabalhando no nosso limite", afirma o diretor de marketing, Cláudio Gora.