Notícia

IDG Now!

Computador simula vibração de tubos em plataforma petrolífera

Publicado em 21 março 2007

Por Redação da Computerworld*

São Paulo - Equipamento será usado na Plataforma P-55 da Petrobrás para medir o movimento dos sistemas que ligam os poços às plataformas.

Nos próximos quatro meses os supercomputadores do Núcleo de Dinâmica e Fluidos (NDF), do Departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica (Poli) da USP, vão calcular a vida útil dos risers da Plataforma P-55 da Petrobrás. Os risers, sistemas tubulares que ligam os poços no fundo do mar às plataformas, estão sujeitos a Vibração Induzida por Vórtices (VIV) devido as correntes marítimas e as ondas.
O objetivo do projeto é calcular a vida útil desses risers quando imersos nas condições ambientais reais do local da plataforma. A Petrobrás, segundo a USP, define os perfis de corrente e o setor de engenharia vai simular em seu supercomputador se os modelos atendem às necessidades exigidas, checando a fadiga e vida útil devido a VIV.
A Poli, parceira técnica da Petrobrás há mais de duas décadas, já deu início ao estudo, a ser concluído em junho próximo. Para obter resultados confiáveis, serão simuladas 170 condições de correntes marítimas.
O núcleo emprega o conhecimento acumulado em projetos patrocinados pela Petrobrás, British Petroleum (BP), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).
Os recursos computacionais disponíveis no NDF, adquiridos com apoio da Fapesp e da Finep, são constituídos por um cluster SGI Altix com 16 CPUs Itanium2, um cluster Itautec com 64CPUs Pentium IV, um servidor Itautec Dual Xeon, estações de trabalho Compaq/Alpha Dual-EV6, Dell Dual-Xeon, SGI Indigo, PowerMac Dual-G5 e 38 microcomputadores PC Pentium IV.

*Com informações da Agência USP.