Notícia

Jornal do Commercio (RJ) online

Comprovada existência de aurora em Marte

Publicado em 10 junho 2005

Espaço

O espetáculo da aurora visto nos pólos da Terra e em outros grandes planetas do Sistema Solar também está presente em Marte

O espetáculo da aurora visto nos pólos da Terra e em outros grandes planetas do Sistema Solar também está presente em Marte. Se na Terra a aceleração das partículas é causada pelo próprio campo magnético do planeta - e isso resulta nos tons coloridos vistos no céu durante o fenômeno -, em Marte a origem do processo é única.
Artigo publicado na "Nature", assinado por Jean-Loup Bertaux, do Serviço de Astronomia da França, e colaboradores, fez a revelação. Segundo o estudo, a aurora marciana está localizada ao redor de áreas onde a concentração de rochas magnéticas é maior.
Na Terra, em altas latitudes, a aurora austral (hemisfério Sul) ou boreal (hemisfério Norte) são resultados da interação entre elétrons, prótons ou íons com a camada normalmente neutra da chamada atmosfera superior. As cascatas dessas partículas, a partir das linhas do campo magnético da Terra, produzem os impressionantes riscos coloridos no céu.
Júpiter, Saturno, Urano e Netuno também têm suas auroras. Assim como Marte, que não tem uma campo magnético, Vênus é outro planeta que também faz parte desse time. Lá, o fenômeno é produzido por partículas que fluem diretamente do Sol.
Para identificar a inusitada aurora do Planeta Vermelho, os pesquisadores utilizaram um espectrômetro ultravioleta instalado no satélite Mars Express. O instrumento foi colocado em órbita pela Agência Espacial Européia. Ainda não foram obtidas fotos do fenômeno.
Brasil e França fecham parceria
O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Sérgio Gaudenzi, e o presidente do Centro Nacional de Estudos Espaciais da França (CNES), Yannick d"Escatha, assinam na próxima semana um acordo de cooperação relativo à participação brasileira na Missão Corot.
Segundo a AEB, o ingresso no empreendimento deverá beneficiar universidades e institutos de pesquisa, que terão acesso aos dados obtidos pelo satélite da missão. A Missão Corot está voltada para a pesquisa de planetas fora do Sistema Solar e para o estudo da sismologia estelar.
A missão inclui a presença de cientistas brasileiros nas equipes de interpretação das informações. Deverá ser instalada uma antena de recepção em Alcântara (MA), com o objetivo de monitorar e rastrear o artefato espacial.
A assinatura do acordo será um dos compromissos do presidente da AEB durante viagem internacional que, além da França, inclui a Rússia e o Cazaquistão. Neste último, Gaudenzi assistirá ao lançamento, promovido pela agência espacial russa, da nave de carga Progress para a Estação Espacial Internacional (ISS), empreendimento que tem, entre os 16 integrantes, o Brasil.
Agência Fapesp