Notícia

UNICA - União da Indústria de Cana-de-Açúcar

Comissão julgadora destaca qualidade dos trabalhos inscritos no 5º Prêmio TOP Etanol

Publicado em 26 maio 2014

Projetos excelentes e bem organizados sobre o tema “agroenergia e meio ambiente” fizeram, mais uma vez, com que a comissão julgadora tivesse dificuldades para escolher os vencedores do 5º Prêmio TOP Etanol, iniciativa do Projeto AGORA. Quatro modalidades foram analisadas: Fotografia, Jornalismo, Trabalhos Acadêmicos e Inovação Tecnológica.  A cerimônia de premiação acontecerá na noite de 02 de junho, no hotel Grand Hyatt São Paulo e a exemplo do que ocorreu na primeira edição realizada em 2010, contará com a participação dos três principais candidatos à presidência da república: Aécio Neves (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Eduardo Campos (PSB).

 

“Foi um desafio muito positivo. Com tanto material interessante para apreciar, os jurados ficaram com dúvidas e com vontade de eleger diversos vencedores,” avaliou Adhemar Altieri, diretor de Comunicação Corporativa da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), uma das 18 entidades e empresas que compõe o AGORA.

 

A consolidação da premiação a cada edição, de acordo com Ruy Portilho, sócio-diretor da RP Consultoria, parceira do AGORA na organização do TOP Etanol, contribuiu de forma significativa para o aumento em 51% das inscrições para o Prêmio em relação ao ano passado.

 

“Os 566 trabalhos inscritos comprovam a credibilidade do TOP Etanol nos meios acadêmico, jornalístico e de pesquisas. Fatores como uma comissão julgadora composta por profissionais prestigiados em suas áreas de atuação, boas premiações e a visibilidade que o TOP Etanol proporciona aos vencedores, acrescentam brilho e trazem mais confiança aos inscritos,” afirmou Portilho.

 

Confira a seguir alguns depoimentos dos jurados sobre os trabalhos selecionados:

 

Modalidade Jornalismo

 

- “Os trabalhos inscritos trouxeram um relatório completo sobre a realidade do setor, tão importante para a economia do País. Espero que o Prêmio ajude o governo a ver a importância da atividade canavieira para o Brasil e o quanto ela necessita de políticas públicas.”

Ricardo Setti, Revista Veja

 

- “O TOP Etanol contribui com a divulgação das técnicas e dos investimentos que o setor sucroenergético faz há muito tempo. Os trabalhos, além de uma qualidade indiscutível, mostram os desafios, as dificuldades enfrentadas pela indústria da cana. A imprensa está acompanhando tudo.”

Woile Guimarães, jornalista e consultor

 

- “Excelente profissionalismo, foi o que observei no material inscrito. Até mesmo os textos que em tese deveriam ser mais técnicos, foram escritos de forma didática, facilitando o entendimento. Isso demonstra a preocupação dos profissionais de comunicação em conhecer e se aprofundar nos temas da indústria canavieira.”

Junia Nogueira de Sá, jornalista e consultora, Oito Comunicação Estratégica

 

- “Prêmio de jornalismo com uma pauta só tem muita vantagem. Ele nos trás um conhecimento mais compacto, de um tema específico e interessante. Encontrei pérolas, informações que me deixaram impressionado e que me fizeram pensar por quê eu desconhecia tais dados. A relação do setor com a imprensa está sendo bem feita.”

Sinval de Itacarambi Leão, diretor e editor responsável, Imprensa Editorial Ltda

 

- “Através dos trabalhos, tive a certeza da importância do setor para a economia do País. O AGORA, por meio de seus projetos, tem contribuído de forma significativa para a difusão da atividade canavieira, levando para as escolas, imprensa e centros de pesquisa, o quanto ela é essencial para o agronegócio brasileiro.”

Guilherme Pena, jornalista e gerente de Comunicação Corporativa, Copersucar

 

Modalidade Inovação Tecnológica

 

- “Os trabalhos estão mais assertivos, com um propósito estabelecido, o que é excelente. A diversidade dos projetos inscritos também me chamou a atenção. E é fato, as pessoas estão mais sensíveis ao tema do setor sucroenergético.”

Luis Augusto Cortez, professor da UNICAMP

 

- “Foi difícil chegar a um consenso. Os trabalhos foram bem escritos e com uma consistência que impressionou. Porém, a nossa missão era indicar o melhor, e apesar de complicado, fizemos isso. Venceu o projeto que está mais perto de se tornar realidade.”

Francisco Nigro, professor e pesquisador, Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) do Estado de São Paulo

 

- “A cada ano a escolha fica mais complexa, e nesta edição não foi diferente. Para nós da comissão é difícil chegar a um consenso sobre o vencedor, o que é bom. O interesse dos pesquisadores, empresas e estudantes em inovação voltada ao setor sucroenergético, denota o quão a atividade é importante para o Brasil.”

Alfred Szwarc, consultor de Emissões e Tecnologia, União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

 

Modalidade Trabalhos Acadêmicos

 

- “Essa é a minha primeira participação nessa comissão, e confesso que fiquei imaginando como seria julgar os trabalhos envolvendo a indústria canavieira. Sinceramente, tive uma grata surpresa. Os projetos, com uma qualidade incontestável, mostraram ter sistemática científica e um trabalho de campo bem apurado. O TOP Etanol, sem dúvidas, é um estímulo para a academia.”

Manoel Regis Leal, coordenador de Relações Institucionais, Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE)

 

- “A abrangência dos temas me chamou bastante a atenção. A qualidade? Essa já é a marca dos trabalhos inscritos no Prêmio TOP Etanol.”

Isaias Macedo de Carvalho, professor e pesquisador do NIPE/UNICAMP

 

- “A qualidade tem aumentado a cada edição. Os temas diversificados envolvendo questões industriais, sociais e de sustentabilidade, mostram que os produtos da cana estão chamando a atenção da academia. O TOP Etanol, além de proporcionar prestígio aos premiados, atrai a atenção dos jovens para trabalhar com bioenergia.”

Heitor Cantarella, coordenador do BIOEN/FAPESP, pesquisador do IAC/UNICAMP