Notícia

MSN

Comercialização de genéricos foi boa para a saúde e para o bolso do consumidor

Publicado em 17 fevereiro 2009

Segundo pesquisa, entrada dos genéricos no mercado derrubou rapidamente os preços dos remédios de marca nas farmácias.

 

Um estudo coordenado pela professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP Leste (Universidade de São Paulo), Marislei Nishijma, constatou que a entrada dos medicamentos genéricos no mercado brasileiro foi benéfica não só para a saúde, mas também para o bolso do consumidor.

De acordo com a professora, a comercialização dos medicamentos genéricos derrubou rapidamente os preços dos remédios de marca nas farmácias, mostrando que os medicamentos de referência são sensíveis ao aumento do número de genéricos.

"As mudanças no cenário começaram assim que os produtores de medicamentos de marca passaram a enfrentar a concorrência dos genéricos que tinham garantia de qualidade", disse a professora, conforme publicado pela Agência Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Genéricos

Ainda segundo a pesquisadora, a autorização para produção de genéricos no país foi condicionada pela realização obrigatória de teste de bioequivalência, configurando um controle de qualidade inédito.

Entretanto, mesmo assim, uma pesquisa realizada pelo Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais constatou que a população brasileira ainda tem dúvidas a respeito da qualidade do medicamento genérico, sendo que em Belo Horizonte, por exemplo, apenas 20,4% dos consumidores preferem este tipo de medicamento, contra 58,7% que optam pelo de marca.

"Ele ainda está refém do mercado. Ainda não tem o costume, não criou o hábito ou o conhecimento suficiente para cobrar, no consultório médico, que o medicamento prescrito seja no nome genérico. Ou então, para fazer o mesmo na farmácia e cobrar se, de fato, existe genérico. Essa posição do consumidor é definidora dessa situação", explica o diretor do Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais e vice-presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos, Rilke Novato.