Notícia

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Começam as obras do Parque Científico da Unicamp

Publicado em 15 junho 2011

Foi iniciada a construção do Núcleo do Parque Científico da Universidade Estadual de Campinas, que abrigará o centro administrativo e a nova estrutura da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp).

Da área projetada da obra, de 4 mil metros quadrados, na primeira fase serão construídos 2.750 metros quadrados, com previsão de entrega em 360 dias. A obra, financiada pelo Governo do Estado, terá investimento de R$ 5.505.439,44. No Parque, o espaço para a incubação de empresas de base tecnológica será ampliado para atender até 48 clientes.

Para Roberto de Alencar Lotufo, diretor-executivo da Agência de Inovação Inova Unicamp, a construção do Núcleo é um importante passo para a implantação do Parque Científico da Unicamp. "Também estamos em negociação avançada para o início da construção de outros prédios em parceria", disse.

O Parque Científico da Unicamp está pré-credenciado no Sistema Paulista de Parques. Sua estrutura final ocupará uma área de 100 mil metros quadrados, dedicada à instalação de laboratórios para o desenvolvimento e execução de projetos de pesquisa colaborativa em parceria com a Unicamp e financiados por empresas e outras instituições públicas e privadas inovadoras. As negociações para instalações no Parque também já começaram e estão sendo articuladas por meio da Inova Unicamp.

A gerente do Centro de Inovação em Software (Inovasoft) da Inova Unicamp, Iara da Silva Ferreira, explicou que para se instalar no Parque a empresa deve ter um projeto de pesquisa envolvendo uma unidade de pesquisa da universidade. "As empresas deverão investir em estrutura, além de arcar com o custo do condomínio", afirmou.

Um projeto elegível também deve cumprir os seguintes requisitos: o financiamento deve ser da própria empresa e a execução do projeto de pesquisa deve ter duração determinada, e a proposta do projeto a ser desenvolvido em parceria deve ser relevante para as unidades de ensino e pesquisa. As propostas serão avaliadas pelo Conselho Superior do Parque Científico.

O processo de seleção é público e está aberto a qualquer organização de base tecnológica de todo o País. Empresas que queiram se instalar no Parque têm como opção de financiamento para a construção de laboratório o crédito acumulado do ICMS, já que as companhias integrantes de parques tecnológicos, que compõem o Sistema Paulista de Parques Tecnológicos, podem utilizá-lo para pagamento de bens e mercadorias adquiridos. Outras formas de incentivo também podem ser utilizadas, como a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Fonte:  Agência Imprensa Oficial e da Agência Fapesp