Notícia

MT de Fato

Começa neste domingo a 5° mostra de Cinema Negro de Mato Grosso

Publicado em 04 setembro 2020

Com 186 inscritos e 35 filmes selecionados, a quinta edição da Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso inicia no próximo domingo (06.09) de forma online no site do Coletivo Audiovisual Negro Quariterê (http://quaritere.com.br/). A Mostra acontecerá do dia 6 ao dia 13 de setembro.

A Mostra que acontecerá totalmente de forma online, terá uma live de abertura com o convidado especial Jeferson De as 19h no instagram do Coletivo Audiovisual Negro Quariterê (@quaritere).

Durante a mostra, todos os filmes ficarão disponíveis para assistir e votar. Assim como o júri desse ano selecionará as categorias: ficção, documentário, experimental e vídeo-clipe e menção honrosa. Quem assiste, também poderá votar de forma online no filme que mais gostou tendo assim a categoria: júri popular.

Sobre o convidado especial:

Jeferson De é um cineasta brasileiro, nascido em Taubaté, interior de São Paulo. Estudou cinema na USP, onde foi bolsista da FAPESP com a pesquisa: “Diretores Cinematográficos Negros”. Em 2000, publicou o manifesto “Dogma Feijoada”. Roteirista e diretor dos premiados curtas “Distraída Pra Morte” (2001), “Carolina” (2003) e “Narciso RAP” (2005). Foi editor e finalizador em projetos na MTV e SBT, entre eles: as séries “Vinte poucos anos”, “Tudo de Bom” e “Popstars”. Em 2003, produziu em São Paulo os programas “Brasil Total” e Central Da Periferia”, exibidos na TV Globo. Em 2005 lançou o livro “Dogma Feijoada e o Cinema Negro Brasileiro”, dentro da coleção Aplauso. Na TV criou e dirigiu, junto à gravadora Trama, o programa “TRAMAVIRTUAL”, exibido no Multishow. Em 2007 dirigiu o curta metragem “Jonas só mais um” para o Projeto da X Brasil para o Marco Universal. Seu longa-metragem de estréia Bróder foi selecionado no 60º Festival de Berlim e lançado no Brasil em abril de 2011, tendo recebido o prêmio de melhor filme pela APCA (Associação Paulista de críticos de arte) e 11 indicações no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Sobre a Mostra:

Este ano, a temática da Mostra é Sobre(vivência) e foi escolhida para falar da resiliência do povo negro. Estar dentro de um sistema que cada vez mais coloca a negritude e a arte como inimigos. O cinema negro no Brasil tem, desde seu nascimento, a força motriz do antiepistemicídio, do antirracismo e da construção de novas potências de viver. Sobrevivemos sabendo que nossos corpos e ideias são os alvos, buscando na ancestralidade os exemplos para (re)construir nossas histórias e (sobre) viver às dificuldades.

A Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso surge como uma ferramenta para debater e refletir sobre o protagonismo negro no audiovisual, além de ser uma resposta aos anseios de produtores afrodescendentes do Estado de Mato Grosso, que buscam dar visibilidade à produção audiovisual negra regional e nacional. A Mostra acontece há 5 anos e é a única do gênero no estado, salvaguardar esse evento anual é dialogar com as necessidades, discutir as vivências e estratégias de sobrevivência em um estado fora do eixo. O cinema, enquanto agente transformador de vidas, precisa ter uma parcela de representação nas vidas dessas pessoas e não alimentar estereótipos da representação dos negros no cinema.

Sobre o Coletivo

O Quariterê é responsável pela Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso desde sua segunda edição (2017), em 2018, que teve como convidadas especiais para a mostra Joyce Prado (APAN) e Adélia Sampaio, primeira negra a dirigir um longa-metragem no Brasil. Em 2019, homenageou o professor, militante, antropólogo e cineasta Dr. Celso Luiz Prudente.

O Coletivo realiza mensalmente a Sessão Afrocine, em parceria com o Cineclube Coxiponés da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), além de sessões em escolas públicas de Cuiabá, comunidades quilombolas e cidades do interior do estado. Em tempos de quarentena lançaram o canal QuariTV no YouTube e IGTV, com entrevistas de personalidades negras sobre arte, saúde mental e isolamento social.

Confira a lista dos selecionados para a mostra desse ano:

Documentário

  • À Beira do Planeta Mainha Soprou a Gente (BA, 2020). Direção de Bruna Barros e Bruna Costa. 13 minutos.
  • A Padroeira (RJ, 2020). Direção de Clementino Junior. 12 minutos.
  • As Canções de Amor de uma Bicha Velha (RJ, 2020). Direção de André Sandino Costa. 22 minutos.
  • Eu Me Chamo Jongo (RJ, 2019). Direção de Alexandre Ferreira. 17 minutos.
  • Enraizadas (RJ, 2019). Direção de Gabriele Roza e Juliana Nascimento. 14 minutos.
  • Jardim Peri Alto em Cena (SP, 2019). Direção de Jerê Nunes e Gabriel Cândido. 23 minutos.
  • Joãosinho da Goméa – O Rei do Candomblé (RJ, 2019). Direção de Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra. 14 minutos.
  • L.G. Baixada T. (RJ, 2019). Direção de Artur Fontes. 20 minutos.
  • Meia Lua Falciforme (PR, 2020). Direção de Débora Evellyn Olimpo e Dê Kelm. 22 minutos.
  • O Amor TRANSforma (MT, 2019). Direção de Elton Martins e Dizão Leão. 5 minutos.
  • Ser Feliz no Vão (RJ, 2020). Direção de Lucas H. Rossi dos Santos. 12 minutos.
  • The Chanel’s: Trajetórias, Vivências e a Construção da Arte LGBT Negra (MT, 2020). Direção de Wandeir Maurício dos Santos. 14 minutos.
  • Toque Feminino – Mulheres Percussionistas de Salvador (BA, 2019). Direção de Cristiana Fernandes e Gabriela Ferreira. 31 minutos.

Experimental

  • A Noite Se Tornará Ainda Mais Escura (CE, 2020). Direção de Bianca Ellen, Lux Farr, Isa Vitório, Arara e Fran Xyk. 12 minutos.
  • Ensaio (CE, 2020). Direção de Carol Sousa e Grenda Costa. 2 minutos.
  • (Entre)tecer (RJ, 2020). Direção de Marina Silva e Madara Luiza. 8 minutos.
  • Memórias da Maturidade (MT, 2020). Direção de Luanna Sampaio. 9 minutos.
  • Quedaria (MA, 2020). Direção de Brenna Maria. 5 minutos.
  • SEM NOME / SEM (cem) MORTOS (AM, 2019). Direção de Keila Serruya. 3 minutos.
  • Xire (RJ, 2019). Direção de Hugo Lima. 5 minutos.

Ficção

  • A Face Negra do Amor (RJ, 2018). Direção de Tatiana Tibúrcio. 24 minutos.
  • Alforria Social Beat (SP, 2020). Direção de Rodjéli Salvi. 25 minutos.
  • As Invenções de Akins (MS, 2018). Direção de Ulísver Silva. 33 minutos.
  • Barco de Papel (SP, 2018). Direção de Thais Scabio. 15 minutos.
  • Blackout (RJ, 2019). Direção de Rossandra Leone. 19 minutos.
  • Encruza (RJ, 2019). Direção de Bruna Andrade, Gleyser Ferreira, Maíra Oliveira e Uilton Oliveira. 11 minutos.
  • Goma (SP, 2020). Direção de Igor Vasco. 20 minutos.
  • Lily’s Hair (Go, 2019). Direção de Raphael Gustavo da Silva. 15 minutos.
  • Neguinho (RJ, 2020). Direção de Marçal Vianna. 16 minutos.
  • Perifericu (SP, 2020). Direção de Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira. 20 minutos.
  • Receita de Carangueiro (SP, 2020). Direção de Issis Valenzuela. 20 minutos.

Videoclipe

  • Arrastão – Rincon Sapiência e ÀTTØØXXÁ (BA, 2020) – Direção de Iury Taillan. 4 minutos.
  • Batidão – Enme (MA, 2020). Direção de Jessica Lauane. 3 minutos.
  • Manifesto Preto – Du Kiddy Artivista (SP, 2019). Direção de Lygia Pereira. 4 minutos.
  • Obsessão – Enme ft. DJ Palazi (MA, 2020). Direção de Enme Paixão. 2 minutos.

SERVIÇO

5° Mostra de Cinema Negro de Mato grosso online do dia 6 ao dia 13 de setembro pelo site http://quaritere.com.br/

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
A Gazeta (Cuiabá, MT)