Notícia

WNews

Começa chamada pública para projetos de TI

Publicado em 18 fevereiro 2008

Agência Fapesp

Uma chamada pública para apresentação de propostas de pesquisas nas áreas de tecnologia da informação, engenharia de software, psicologia e administração de empresas foi lançada na sexta-feira (15/2), na sede da FAPESP, em São Paulo, durante cerimônia de assinatura do convênio de cooperação científica e tecnológica entre a Fundação e as empresas Ci&T Software e DigitalAssets.As propostas devem ser encaminhadas até 14 de abril, por meio do Sistema de Apoio a Gestão (SAGe) da FAPESP. Os resultados do processo de análise e seleção dos projetos serão divulgados em agosto.

O aporte total de R$ 3,6 milhões para o financiamento dos projetos — 50% investidos pela FAPESP e 50% divididos entre as duas empresas — será desembolsado ao longo dos cinco anos de vigência do acordo. O convênio foi firmado nos termos do Programa de Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) da FAPESP.

O objetivo é identificar, selecionar e apoiar projetos de pesquisa fundamental e aplicada a serem desenvolvidas de maneira cooperativa por pesquisadores das duas empresas em parceria com cientistas vinculados a instituições de ensino superior e de pesquisa, públicas e privadas, no Estado de São Paulo.

Segundo Celso Lafer, presidente da FAPESP, as pesquisas apoiadas deverão ser desenvolvidas com vistas à aplicação. "A tecnologia de informação é uma área que demanda muita atividade de pesquisa e desenvolvimento e um convênio como esse abre inúmeras possibilidades para o Estado de São Paulo", afirmou.

"A constituição paulista contempla, entre os objetivos da FAPESP, não apenas a ciência, mas também o desenvolvimento da tecnologia. Considerando a frase de Louis Pasteur de que não existe ciência aplicada e sim aplicações da ciência, essa parceria deverá gerar aplicações que nos capacitem a ter um papel de destaque na economia e no funcionamento de nosso estado e de nosso país", acrescentou Lafer.

Também presente na cerimônia, Carlos Vogt, secretário do Ensino Superior do Estado de São Paulo, representando o governador José Serra, disse ter uma visão extremamente positiva do convênio.

"Em nome do governador gostaria de trazer uma mensagem de apoio a mais esta bem-sucedida parceria realizada por meio do PITE, programa que visa ao desenvolvimento tecnológico e à inovação, cujas iniciativas bem sucedidas pude acompanhar de perto nos cinco anos em que fui membro do corpo diretivo da FAPESP", disse o ex-presidente da Fundação.


Nove linhas prioritárias

Os projetos selecionados deverão contribuir para o avanço do conhecimento nas áreas de engenharia de aplicações na Web 2.0, engenharia de software, administração de empresas e psicologia. A Web 2.0 designa uma nova geração de serviços que propiciam colaboração on-line, compartilhamento de recursos e cooperação entre usuários.

Os temas de interesse da chamada incluem nove linhas de pesquisa, apesar de os pesquisadores não precisarem ficar restritos a elas: "Tecnologias, padrões e frameworks emergentes em Web 2.0", "Usabilidade de aplicações web", "Processos, métodos e diretrizes de adoção da abordagem SOA no mundo corporativo e acadêmico", "Tecnologias, padrões e frameworks emergentes em SOA" e "Reúso de software".

"Gestão de grandes volumes de conteúdo em aplicações na Web 2.0", "Mudanças de comportamento humano em corporações escaláveis", "Competitividade suportada por gestão diferenciada de relacionamentos corporativos" e "Desenvolvimento de plataformas ubíquas de software com foco em logística de transportes" e completam a lista.

De acordo com Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, a maior parte dessas nove linhas de pesquisa se relaciona muito proximamente com um documento recém-publicado pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) com os principais desafios na área de ciência e engenharia de computação no Brasil.

"É muito interessante o fato de a Ci&T e a DigitalAssets terem estabelecido temas e demandas que se relacionam com aquilo que a própria SBC considera elementos da fronteira do conhecimento na ciência da computação", afirmou.

"Esse convênio e a chamada de propostas se inserem na estratégia da FAPESP que tem três ações muito importantes: a formação de recursos humanos, o apoio à pesquisa acadêmica motivada pela curiosidade do pesquisador e a investigação com vistas às aplicações, ou seja, estudos que não são feitos apenas para o avanço do conhecimento, mas que se conectam mais diretamente com o desenvolvimento econômico e social do país", destacou.

As propostas da chamada, que deverão ser para projetos com duração de até 24 meses, deverão buscar ainda objetivos de pesquisa como soluções novas e criativas, relevância imediata, disseminação e comunicação e propriedade intelectual dos resultados.

A seleção será realizada por análise de mérito e análises comparativas, usando-se critérios como originalidade e ousadia, qualidade e viabilidade da execução do projeto, adequação da infra-estrutura, formação de novos pesquisadores e potencial para ampla disseminação e uso da propriedade intelectual criada.

Inovador, mas perecível

Segundo César Gon, diretor presidente da Ci&T Software, a inovação, no contexto do mercado global de tecnologias da informação, apesar de ser desenvolvida de maneira muito freqüente, é também altamente perecível.

"Diferenciais e vantagens comparativas em TI duram muito pouco e, por isso, precisamos, em uma visão de crescimento a longo prazo, promover uma constante criação de know-how e formação de recursos humanos. Estar próximo da academia para trazer a visão da indústria para a pesquisa científica é uma forma de a Ci&T disputar, de maneira mais competitiva, novas fatias desse mercado de TI", afirmou.

Fernando Matt, diretor presidente da DigitalAssets, lembrou que a empresa nasceu dentro de um laboratório de inovação na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) "cujas pesquisas, desenvolvidas por meio da interação entre pesquisadores do grupo Ci&T e da academia, geraram tecnologias de ponta que hoje são competitivas a nível internacional".

"Esse convênio aumenta ainda mais o leque de opções de novos tipos de desenvolvimento tecnológico. Estamos confiantes quanto a resultados positivos para o grupo Ci&T, para o ambiente universitário e para o Estado de São Paulo", disse Matt.

Fundada em 1995 e com atuação em diversos segmentos da indústria, a Ci&T Software é uma empresa especializada em software e tecnologia da informação. A empresa conta com uma estrutura global de prestação de serviços que inclui seis unidades no Brasil, uma subsidiária nos Estados Unidos e um escritório na Europa.

A DigitalAssets, uma empresa do grupo Ci&T, é especializada em soluções práticas para o reúso de software. Seu objetivo é auxiliar seus clientes a reduzir custo e aumentar a qualidade e agilidade no desenvolvimento de software. Para isso, a empresa atua provendo serviços profissionais, ferramentas e produtos customizados que impulsionam a criação, gestão e reúso de ativos digitais.