Notícia

Saúde Business

Com pacote de anúncios, Alckmin expande investimentos em Saúde

Publicado em 18 outubro 2013

Em evento no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou uma gratificação para médicos que aceitarem trabalhar na periferia da capital e em cidades da Grande São Paulo. O bônus de até 30% foi anunciado em conjunto com o secretário estadual da Saúde, David Uip, nesta sexta-feira (18).

A solenidade serviu para inaugurar o Centro de Pesquisa Clínica e a nova biblioteca do Incor. As obras receberam investimentos de R$ 4,7 milhões da Fapesp, da Fundação Zerbini e da Secretaria de Energia de São Paulo. Quando estiver totalmente equipado, o centro dará suporte a aproximadamente mil estudos clínicos que estão em andamento, bem como futuros estudos em fase de teste em seres humanos – incluindo vacinas contra o HIV e contra a febre reumática.

A construção do Centro de Pesquisa Clínica e Medicina Translacional em Cardiologia e Pneumologia do Incor consumiu R$ 4 milhões de investimentos, ao longo de dois anos. Cerca de R$ 3,3 milhões desse montante vieram da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), por meio do fundo de reserva técnica institucional de infraestrutura do órgão. A contrapartida do Incor no projeto foi de R$ 700 mil, cobertos pela Fundação Zerbini, entidade de apoio financeiro ao Instituto do Coração.

Residentes

Alckmin autorizou ainda a ampliação no número de bolsas de residência médica que o estado oferece anualmente, passando de 5.534 para 6.134. Serão 600 novas vagas já para o próximo ano. O investimento, já com as novas vagas, será de R$ 227,5 milhões por ano. Novas instituições passarão a ser beneficiadas com o programa, passando das atuais 49 participantes para 68 – algumas delas aguardam credenciamento junto à Comissão Nacional de Residência Médica.

As instituições beneficiadas são universidades públicas e privadas, hospitais próprios do estado, autarquias, instituições filantrópicas de saúde, organizações sociais de saúde e hospitais municipais. As especialidades oferecidas serão nas áreas básicas de clínica médica, clínica cirúrgica, ginecologia, pediatria, ortopedia, anestesiologia, neurocirurgia, neurologia, cancerologia, neonatologia, UTI, geriatria e psiquiatria, que hoje são as que mais precisam de profissionais.

Mais salário

Na mesma sexta-feira Alckmin sancionou a lei complementar nº 1.212, que regulamenta a jornada de trabalho dos servidores administrativos da Secretaria de Saúde de São Paulo. Os funcionários administrativos que atuam na pasta estadual passam a ter direito de escolher entre uma jornada de trabalho de 30 ou 40 horas semanais.

Cerca de 22 mil servidores terão direito à escolha de jornada. Para os funcionários que optarem pela jornada de trabalho de 30 horas semanais, não haverá prejuízo salarial. Já os servidores que escolherem a jornada de 40 horas por semana, receberão uma recomposição salarial de 25% sobre o valor do salário base. Com isso, o teto salarial poderá chegar a R$ 5 mil.

A opção é destinada a funcionários concursados, que não atuam em autarquias, e possuem cargos de auxiliar de serviços gerais, oficial administrativo, oficial operacional, oficial sociocultural, analista administrativo, analista de tecnologia, analista sociocultural e executivo público.