Notícia

MCTIC - Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

Com apoio do Inpe, ferramenta vai contar a história da expansão urbana de São Paulo

Publicado em 11 abril 2017

Um grupo de pesquisadores está desenvolvendo uma ferramenta digital que conta a história da ocupação urbana na cidade de São Paulo entre o fim do século 19 e o início do século 20. Chamada de Pauliceia 2.0, a ferramenta é baseada nos sistemas TerraBrasilis e TerraLib, criados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

O Pauliceia 2.0 será um portal web para acesso, consulta, visualização, download e mapeamento colaborativo de dados históricos da capital paulista. Serão produzidos mapas digitais históricos que englobam o período entre 1870 e 1940, quando houve a transformação de São Paulo em metrópole.

"Nesse período aconteceu uma grande expansão demográfica na cidade. A população era de 31.385 habitantes em 1872 e foi para 1.326.261 em 1940. Por conta disso, o recorte do projeto possui grande densidade de produção historiográfica", ressaltou a pesquisadora do Inpe Karine Reis Ferreira, que participa da iniciativa junto com os pesquisadores Gilberto Ribeiro de Queiroz e Nandamudi Lankalapalli Vijaykumar.

O projeto começou em fevereiro, e uma versão beta para avaliação dos parâmetros e interatividade da ferramenta deve ser lançada em julho de 2018. A previsão é que o Pauliceia 2.0 seja finalizado no início de 2019.

Neste primeiro momento, serão inseridos dados sobre a ocupação da cidade e será construído um mapa interativo, utilizando a ferramenta TerraBrasilis. Com as informações inseridas na plataforma, a biblioteca virtual TerraLib vai ser capaz de geocodificar os endereços desses dados.

A biblioteca possui um conjunto de algoritmos para processar e analisar os dados e as imagens de sensoriamento remoto inseridas no sistema. A partir daí, serão criados mapas interativos que vão apresentar parâmetros que poderão ser comparados com informações de outras épocas.

"Buscamos fazer um mapeamento colaborativo de São Paulo, com recorte década a década da ocupação urbana. O primeiro passo vai ser a inserção dos dados de ruas e edificações com as numerações. Com os algoritmos do TerraLib, será possível gerar uma coordenada com a localização procurada e, com os mapas gerados, os pesquisadores vão poder comparar ocorrências em diferentes épocas da cidade", disse Karine Reis.

Multiusuário

A expectativa é que o Pauliceia 2.0 seja "amigável" com o usuário, permitindo o uso do sistema por qualquer pessoa. Com isso, os pesquisadores querem estimular a participação da comunidade científica, com a inserção de diferentes tipos de dados históricos e geográficos. As informações, que estarão disponíveis para consulta, visualização e download, poderão subsidiar pesquisas sobre o desenvolvimento da cidade.

"A ideia é montar uma plataforma colaborativa, em que vários pesquisadores que estão estudando diversos temas daquele período insiram dados na plataforma para auxiliar no desenvolvimento de outras pesquisas. Não só relativas à ocupação do espaço urbano, mas também de indicadores como saúde e violência, por exemplo", afirmou a pesquisadora.

O projeto tem apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), por meio do programa eScience, e é uma parceria entre pesquisadores do Inpe, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) de Guarulhos e de São José dos Campos, do Arquivo do Estado de São Paulo e da Emory University, dos Estados Unidos.

Por Ascom do MCTIC