Notícia

Jornal da Cidade (Bauru, SP) online

Com 80 anos na educação, família Ranieri quer instalar medicina na FIB

Publicado em 08 dezembro 2013

A família Ranieri completa, em 2013, 80 anos de tradição no ramo educacional e se prepara para enfrentar um grande desafio. Numa meta audaciosa, a Faculdades Integradas de Bauru (FIB), unidade administrada por José Augusto Vieira (Dudu) Ranieri e seus quatro filhos, farão investimentos visando ser a instituição escolhida pelo Ministério da Educação (MEC) para receber o esperado curso de medicina em Bauru.

Para tanto, mesmo com autorização ainda incerta, a preparação já começa a partir da semana que vem. Segundo a diretora acadêmica da FIB, Chiara Ranieri, os investimentos estão estimados em R$ 2 milhões e serão destinados, principalmente, à ampliação e instalação de laboratórios e aquisição de bibliografia.

E a instituição terá de correr contra o tempo. Conforme explica Chiara, para que a implantação do curso seja autorizada, todo o projeto pedagógico e estrutura física necessária para os primeiros três anos de curso precisam estar prontos e adequados até a data em que uma comissão de especialistas do MEC visitar a unidade.

A expectativa é de que esta avaliação presencial ocorra até agosto de 2014. “Se der tudo certo, a gente pode realizar o vestibular logo em seguida, para iniciar uma turma já no segundo semestre do ano que vem”, adianta a diretora acadêmica.

Mas, até lá, muitas etapas ainda terão de ser cumpridas. Primeiramente, Bauru precisa ser escolhida pelo MEC como um dos municípios onde novos cursos de medicina poderão ser instalados.

Conforme o JC publicou, no último dia 3, a cidade foi pré-selecionada, junto com outras 41 localidades de todo o País, dentro das estratégias do programa Mais Médicos do Ministério da Saúde para ampliar o número de profissionais formados anualmente no Brasil.

Tradição

A lista final será divulgada no Diário Oficial da União, no próximo dia 20. A partir de então, as instituições interessadas em abrigar o curso deverão se manifestar. A solicitação deverá ser feita pelo e-MEC, sistema eletrônico do Ministério da Educação que credencia instituições de ensino superior e autoriza a implantação de novos cursos.

Além da FIB, até o momento apenas a Anhanguera Educacional manifestou interesse em assumir esta responsabilidade em Bauru.

“Quem vai escolher é o próprio Ministério da Educação. Iremos encaminhar nosso projeto pedagógico com os programas de extensão e pesquisa, listar toda a estrutura física, tecnológica, de biblioteca e corpo docente que podemos oferecer ao menos até metade do curso e fazer as adaptações que nos forem solicitadas”, adianta Chiara.

Quanto à estrutura física, a diretora explica que a FIB conta com ampla área de laboratórios, visto que a instituição já abriga, hoje, seis cursos na área de saúde.

“Além de educação física, fisioterapia, enfermagem, nutrição, farmácia e biomedicina, o curso de psicologia também está para ser autorizado. Como quase todos eles funcionam em período noturno, então não precisaremos construir salas de aula, que ficam ociosas durante o dia, horário em que o curso de medicina tem de ser ofertado”, completa.

A intenção da instituição é disponibilizar de 60 a 90 vagas por ano. Apesar de a implantação ainda ser incerta, Chiara diz estar confiante sobre a escolha a ser feita pelo MEC. “Temos 80 anos de tradição em educação e conhecemos a qualidade do nosso trabalho. E é com este compromisso que queremos trazer o curso de medicina para a nossa cidade”, finaliza.

Convênios

Para que os estudantes de medicina possam realizar aulas práticas e concluir todos os estágios, as Faculdades Integradas de Bauru (FIB) já começaram a prospectar a possibilidade de firmar convênios com clínicas particulares.

Já a parceria com os hospitais públicos e unidades de atenção básica terá de ser viabilizada por intermédio do município, conforme compromisso assumido junto ao Ministério da Educação.

Segundo a diretora acadêmica da FIB, Chiara Ranieri, para que o convênio junto a entidades que recebem recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) possa se efetivar, a instituição que for implantar o curso de medicina deverá apresentar contrapartidas.

“A faculdade responde, por exemplo, com doação de equipamentos, o que colabora para a melhoria da qualidade do atendimento à população como um todo”, pondera.

Faculdade faz 15 anos e amplia cursos

As Faculdades Integradas de Bauru (FIB) completaram 15 anos em 2013 com a marca de 2,5 mil alunos matriculados, cerca de 200 professores e 18 cursos já instalados. Para o próximo ano, a intenção é ampliar o número de cursos para 28, sendo que seis deles já estão aprovados pelo Ministério da Educação.

Uma das únicas instituições de ensino superior genuinamente bauruenses, a FIB é administrada por José Augusto Vieira (Dudu) Ranieri e seus quatro filhos, Chiara, Giovanna, Bruna e José Ranieri Neto. A família possui tradição de 80 anos de atuação em Bauru no ramo educacional, iniciada com a fundação do Liceu Noroeste.

Em 1998, Dudu inaugurou a FIB, desde o início comandada juntamente com Chiara e Neto. “Na época, a Bruna e a Giovanna eram estudantes do ensino médio. Elas se formaram na FIB e hoje são, respectivamente, diretora financeira e diretora de recursos humanos da instituição”, comenta Chiara.

Inicialmente, a FIB funcionou em um prédio pequeno da região central de Bauru. Com o aumento da demanda de alunos, logo foi transferida para uma área de 24 alqueires, no Jardim Ferraz, pertencente à família.

“Nos tornamos uma instituição muito sólida. E, como estamos em uma grande área, temos todas as condições de ampliar nossas atividades”, garante Chiara.

Além de cursos técnicos, de bacharelado e licenciatura, a FIB também oferece cursos de pós-graduação lato sensu (especialização).

Para o aperfeiçoamento do trabalho dos estagiários em fisioterapia, atende a comunidade gratuitamente na clínica do curso, que promove cerca de 2 mil atendimentos por ano.

Da mesma forma, o laboratório de análises clínicas do curso de biomedicina realiza exames, também gratuitos, para abrigados em entidades assistenciais da cidade, como a Associação Beneficente Cristã (Paiva). Aos alunos, a FIB garante inúmeras opções de subsídios para o custeio das mensalidades, tais como o Programa de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (Prouni).

Há ainda o programa Escola da Família, em que governo do Estado e a instituição garantem bolsa integral ao estudante de baixa renda. Outra possibilidade é o Educa Mais Brasil, em que empresas custeiam bolsas de até 50% para pessoas que desejam se profissionalizar em áreas de interesse para o mercado.

“Por uma iniciativa da FIB, também garantimos bolsa integral para atletas de alto rendimento. Temos convênios com equipes de basquete, judô, futsal e natação”, enumera o diretor administrativo da instituição, José Ranieri Neto.

Entre as atividades de pesquisa da unidade, Chiara enumera a publicação periódica de um revista científica, realização de jornadas científicas e manutenção de alunos bolsistas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).