Notícia

Jornal de Jundiaí online

Coleta para identificar zika começa nesta 3ª feira no HU

Publicado em 29 fevereiro 2016

Por Simone de Oliveira

As amostras de sangue para identificar e detalhar o zika vírus em mulheres grávidas começam a ser coletadas nesta terça-feira (01), a partir das 14h, no Hospital Universitário. O material coletado será encaminhado para o Laboratório de Biologia Molecular da FMJ e faz parte do projeto ‘Infecção Vertical pelo vírus e suas repercussões na área materno-infantil’, subsidiado pela Fundo de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Na pesquisa, as mães serão divididas em grupos: Grupo I (gestantes de alto risco, sem sintomatologia); Grupo II (gestantes com exantema e febre) e Grupo III (abortamento). Elas serão monitoradas por um período de três anos.

O pediatra e coordenador da pesquisa, Saulo Santos, explica que o objetivo do estudo é determinar a frequência da infecção causada pelo vírus em gestantes e recém-nascidos, bem como identificar associação entre ele e a má-formação do sistema nervoso. “Sabe-se muito pouco sobre o zika e nós vamos contribuir de forma direta. É um vírus silencioso e estou assustado com o que encontrei em Sergipe, mas essa experiência irá colaborar com a pesquisa sobre o vírus no Estado”, acredita Santos.

Ele integra a equipe do pesquisador Paolo Zanotto, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), que está coletando informações sobre o zika. O especialista lembra que os sintomas do zika são parecidos com um quadro viral, como febre baixa, mal estar, vermelhidão no corpo, conjuntivite, diarreia e vômito.

O professor também pretende compartilhar com os futuros médicos informações precisas e reais sobre essa epidemia. “Nossa escola médica é de qualidade e está envolvida e preocupada com as questões de saúde pública do País”, diz.