Notícia

JC e-mail

CNPq inocenta biólogo da USP de fraude

Publicado em 05 agosto 2013

O comitê do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) que investigou estudos do biólogo Rui Curi, da USP (Universidade de São Paulo), inocentou o pesquisador de acusações de fraude.

Curi, ex-diretor do ICB (Instituto de Ciências Biomédicas) e integrante da Academia Brasileira de Ciências, tem parte de suas pesquisas financiada pelo CNPq, e alguns de seus estudos vinham sendo avaliados pela instituição por suspeita de manipulação de dados.

Após os resultados de dois dos trabalhos de Curi terem sido cancelados pelos periódicos científicos que os publicaram, a Ciac (Comissão de Integridade na Atividade Científica do CNPq) passou a investigar o caso, mas concluiu que não houve "falsificação de resultados".

"A Ciac conclui que houve falha no exercício de rigor na condução e divulgação de resultados, indispensáveis à pesquisa de qualidade", afirma um comunicado assinado pelo presidente da comissão, Paulo Sérgio Beirão.

Segundo o CNPq, a decisão se baseou no parecer de um técnico contratado para a ocasião. O cientista era especialista em bioquímica, área de pesquisa de Curi, mas não trabalhava na mesma linha de estudo do professor da USP. A comissão diz ter buscado uma pessoa de fora de São Paulo e ter tomado precaução para que o parecerista não tivesse nenhum tipo de relação com o acusado.

DENÚNCIAS ANÔNIMAS

Vários trabalhos de Curi vinham sendo investigados desde novembro de 2012, quando foram divulgados pelo blog Science Fraud (www.science-fraud.org), que acolhia denúncias anônimas.

Em fevereiro deste ano, o site encerrou as atividades por não conseguir arcar com os custos legais dos processos que vinha sofrendo.

As denúncias originalmente publicadas no blog apontavam indícios de manipulação na composição de figuras usadas nos estudos de Curi, que mais tarde reconheceu os problemas como sendo erro.

Além de ter dois estudos anulados -um no "JournalofEndocrinology" e outro no "JournalofLipidResearch"-, o pesquisador ainda submeteu erratas relacionadas a outros três artigos.

Um outro processo de investigação sobre os trabalhos de Curi passou pela USP, que o encaminhou agora para a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), financiadora de alguns de seus trabalhos.

(Folha de S.Paulo)

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2013/08/1321024-cnpq-inocenta-biologo-da-usp-de-fraude.shtml