Notícia

Grupo Orzil

CNPq: Conheça o vencedor da 40ª edição do Prêmio José Reis

Publicado em 25 junho 2020

Por Alexandre Orzil

Com 35 anos de jornalismo científico, Carlos Henrique Fioravanti foi escolhido o vencedor da 40ª edição do Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O jornalista escreve sobre ciência, ambiente e tecnologia desde 1985 e produziu mais de mil matérias jornalísticas para jornais – Diário Comércio & Indústria, O Estado de S. Paulo, Gazeta Mercantil e Valor Econômico – e revistas nacionais – Química e Derivados, IstoÉ, Revista Brasileira de Tecnologia, Globo Ciência, Ciência Hoje, Nova Escola, Pesquisa Fapesp – e internacionais – Nature Medicine e Lancet. Há 21 anos, Fioravanti é editor da Revista Pesquisa Fapesp.

Segundo a Comissão Julgadora, o jornalista foi escolhido não só pela qualidade e a relevância dos trabalhos, mas, também, pela “contribuição ao fortalecimento da área de jornalismo científico no Brasil, a qualidade criativa e literárias das narrativas jornalísticas experimentadas em seu percurso, a visão crítica e analítica das Políticas Públicas de CT&I e em reconhecimento à sua contribuição em prol da divulgação e popularização da ciência, tecnologia e inovação.”

Fioravanti ressalta a importância do prêmio e afirma estar honrado com a escolha. “O Prêmio José Reis é o mais alto reconhecimento que um profissional da área de ciência e tecnologia poderia receber. É especialmente importante neste momento, quando a ciência e o jornalismo precisam ser valorizados”, apontou.

Trajetória

Fioravanti fez a graduação em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Universidade de São Paulo (1983), especialização pelo Reuters Institute for the Study of Journalism da Universidade de Oxford, Inglaterra (2007) e doutorado em Política Científica e Tecnológica pela Universidade Estadual de Campinas (2010). Realizou projetos de pesquisa sobre mídia e mudanças climáticas no Brasil e na Inglaterra (2006-2007) e sobre desenvolvimento de fármacos no Brasil, na Inglaterra e nos Estados Unidos (2007-2010). Publicou cinco artigos acadêmicos originais sobre Jornalismo Científico: em 2010, 2013, 2014, 2016 e 2018.

Fioravanti é, ainda, autor de três livros: A Molécula Mágica — A Luta de Cientistas Brasileiros por um Medicamento contra o Câncer (2016), O Combate à Febre Amarela no Estado de São Paulo — História, Desafios e Inovações (2018) e A Guerra contra o Câncer no Brasil — Médicos e Cientistas em Busca de Novos Tratamentos (2019).

Ele recebeu cinco vezes o Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica (2003, 2004-coautor, 2006, 2008 e 2014), o Stop TB Partnership Award for Excellence in Reporting on Tuberculosis (2009), o Prêmio de Jornalismo Medtronic 2014, o I Premio de Periodismo Científico del Mercosul (2018) e o Prêmio Jornalista Tropical (2018).

O Prêmio

O Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica é concedido pelo CNPq desde 1978, destinado às iniciativas que contribuam para tornar a Ciência, a Tecnologia e a Inovação conhecidas do grande público. É uma homenagem ao médico, pesquisador, jornalista e educador, José Reis. É atribuído em um sistema de rodízio a uma das três categorias: “Jornalista em Ciência e Tecnologia”, “Instituição ou Veículo de Comunicação” e “Pesquisador e Escritor”.

O vencedor ganha R$ 20 mil em dinheiro e diploma. O Prêmio é tradicionalmente entregue durante a abertura da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que seria neste mês de julho. Devido à pandemia da Covid-19, a reunião foi adiada e não há, ainda, uma nova data confirmada.

A Comissão Julgadora desta edição, que analisou as 25 inscrições, foi presidida por Maria Ataíde Malcher da Universidade Federal do Pará (UFPA) e composta por Alex Sandro Gomes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Ig Ibert Bittencourt Santana Pinto da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Mariluce de Souza Moura da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Germana Fernandes Barata da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Luisa Medeiros Massarani da Fundação Oswaldo Cruz.

Para saber mais acesse www.premiojosereis.cnpq.br

Coordenação de Comunicação Social do CNPq

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Jornal da Ciência online Notícias do CNPq