Notícia

A Tribuna (Santos, SP)

Clima da região poderá ser objeto de pesquisa

Publicado em 26 janeiro 2009

As informações climáticas ajudam a salvar o mundo e a garantir o crescimento da economia mundial. Com a base científica, é possível tomar decisões sobre gestão de recursos hídricos e de alimentos, além de questões ligadas diretamente à saúde pública, com o objetivo de reduzir os riscos e desastres.

A Baixada Santista, em virtude de sua importância econômica e política, poderá ser alvo de umestudo específicoda Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), assim como as regiões metropolitanas de Campinas e São Paulo, se o projeto for aprovado pelo Programa Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) sobre Mudanças Climáticas Globais.

 Com isso, a partir deste ano, o Brasil fará parte de um grupo seleto de países do mundo que projetarão cenários futuros relacionados a esse assunto. A professora do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Luci Hidalgo Nunes, afirma que a aprovação do órgão de fomento deverá sair entre fevereiro e meados de abril. "Estamos esperançosos de que dê tudo certo. A região de Santos sempre foi, é e será ainda mais estratégica para os interesses político, econômico e estratégico do Estado, do Brasil e até mesmo para o Mercosul (Mercado Comum do Sul), em virtude da movimentação do porto, o maior do País, e principalmente agora, com as descobertas referentes ao présal, petróleo e gás natural", afirma a pesquisadora. Conforme Luci, a projeção de cenários a partir de cálculos matemáticos é feito para áreas de centenas de quilômetros, ou seja, em uma escala extremamente generalizada. Com a melhoria da capacidade computacional, esses modelos de observação e monitoramento podem apresentar elementos mais específicos.

Especificidades

"Ao levar em consideração Santos e Campinas, ambas estão em uma região de clima tropical. No entanto, ao levar em conta os detalhes, existem elementos que apontam diferenças e especificidades. Hoje isso é feito cada vez com mais frequência no mundo". Este programa de pesquisa que será financiado pela Fapesp contemplará os três eixos fundamentais do tema das mudanças climáticas globais, como representados, por exemplo, na organização do IPCC (Painel Intergovernamentalsobre Mudança do Clima, estabelecido em 1988 pela Organização Mundial Meteorológica Mundial e pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente): aumento da base científica; impactos, vulnerabilidade e adaptação; além de mitigação das emissões de gases de efeito estufa.

Financiamento

A iniciativa também terá um substancial componente tecnológico e observacional, o qual deve envolver a recuperação e expansão de observações climáticas regionais para superar a falta de observações ambientais de qualidade para pesquisas, que tem sido um enorme obstáculo ao avanço científico do tema no Brasil. Para se chegar a esse objetivo, haverá uma associação com outros mecanismos de financiamentointernos eexternosao Estadode São Paulo.