Notícia

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Cinedebate discutiu filme sobre a ditadura militar no Uruguai nos anos 1970 e 1980

Publicado em 05 abril 2019

No dia 29 de março de 2019, sexta-feira, a partir das 16h30 da tarde, no auditório do Câmpus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), ocorreu a exibição – seguida pelo posterior debate – do filme “Uma noite de 12 anos”. A organização deste cinedebate contou com o apoio de ex-bolsistas do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural”, tais como Kaua Estevam Cardoso de Freitas (que atualmente é bolsista de iniciação científica com bolsa da FAPESP), Ryan Nepomuceno Montemor (que atualmente é bolsista de iniciação científica com bolsa da PIBIC do CNPq) e Larissa Comodaro Nunes Sant’Ana (que atualmente é bolsista de iniciação científica com bolsa PIBIFSP), bem como dos ex-bolsistas de iniciação científica Rafael Brock Domingos (com bolsa FAPESP) e João Pereira Neto (com bolsa PIBIC do CNPq), todos orientados pelo professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira, docente do IFSP-Caraguatatuba.

A professora Samara Salamene esteve presente, acompanhando seus alunos do curso técnico em meio ambiente do IFSP-Caraguatatuba, e contribuiu com as discussões que ocorreram após a exibição desta obra cinematográfica.

Este cinedebate contou com a participação de alunos de diferentes cursos do IFSP-Caraguatatuba, bem como de membros da comunidade externa ao IFSP, como foi o caso de Odete de Oliveira e de Dante Arenas que após o encerramento da atividade relataram ao professor Ricardo Plaza que ficaram muito satisfeitos em participar de um evento cultural sobre momentos históricos terríveis vivenciados por muitos países da América Latina nos chamados anos de chumbo (décadas de 1960, 1970 e 1980).

O filme “Uma noite de 12 anos” (o título original em espanhol é “La noche de 12 años”) foi dirigido Álvaro Brechner e lançado em 2018; ele é baseado no livro é baseado no livro “Memorias del Calabozo”, escrito pelos dois companheiros de Mujica na prisão, Eleuterio Fernández e Mauricio Rosencof. O filme basicamente conta a história de três guerrilheiros que durante a ditadura militar no Uruguai entre 1973 e 1985, após enfrentamentos com soldados, são presos e sofrem torturas e tratamentos degradantes durante os 12 anos em que ficam em prisões. Um destes três homens é justamente Pepe Mujica que se tornaria presidente do Uruguai entre 2010 e 2015. Os guerrilheiros eram do grupo Movimento de Libertação Nacional-Tupamaros, uma referência a Túpac Amaru, um líder indígena peruano, descendente dos incas, que liderou uma das maiores rebeliões anticoloniais da América do século XVIII.

O trailer legendado do filme “Uma noite de 12 anos” pode ser assistido aqui. Mais informações sobre este filme podem ser obtidas em inglês aqui e em português aqui.

A bela música “The sounds of silence” é um dos pontos culminantes da trilha sonora deste filme; esta música, na voz de Silvia Pérez Cruz pode ser apreciada aqui. Por sua vez, a versão desta música cantada pela dupla Simon & Garfunkel e com a tradução da letra para português como legenda na tela pode ser vista aqui.

Boas análises desta obra cinematográfica são feitas pelos artigos “Uma noite de 12 anos nesta noite” disponível aqui e “Uma Noite de 12 Anos: Um conto avassalador sobre a resiliência humana digno de Oscar” disponíve aqui. Por sua vez, o vídeo “Uma noite de 12 anos - Análise e crítica do filme” pode ser assistido aqui.

Durante o debate após a exibição do filme, foi lembrado que nos anos 1970, toda a América do Sul estava coberta de ditaduras militares que desrespeitaram os direitos básicos dos seus cidadãos, sufocaram a democracia, acobertaram torturadores, acabaram com as liberdades civis individuais, cercearam as artes, perseguiram opositores, fecharam o Congresso e foram responsáveis pela tortura, pelo assassinato, pelo desaparecimento e pelo exílio de uma quantidade imensa de ativistas políticos, intelectuais, estudantes, professores, cientistas, artistas, sindicalistas e pessoas das mais variadas profissões, sob o pretexto de combater o comunismo. Uma cena do filme que mereceu destaque foi o diálogo entre Pepe Mujica e uma médica, na qual esta última insistiu para que Pepe se agarrasse ao que pudesse, para não enlouquecer com o isolamento e a solidão impostos a ele pelos seus carcereiros; ao final desta cena, a médica recomenda a Pepe: “Avante! Sobreviva!”

Antes do início e no final do cinedebate foi apresentada uma série de 2 depoimentos que o professor Héctor Luis Roefero Baz Reyes (do IFSP-Jacareí) gravou especialmente para este cinedebate. O professor Héctor nasceu no Uruguai e viveu nas proximidades da casa de Pepe Mujica. Nestes 2 depoimentos, o professor Héctor confere um especial destaque a respeito da simplicidade e dos valores de Pepe Mujica, sobretudo nos dias de hoje que conferem tanta importância para o ato de consumir, para o “ter” em detrimento do “ser”. Estes dois depoimentos estão disponíveis no canal do YouTube “Educação Científica IFSP-Caraguatatuba” associado ao programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural”; eles podem assistidos por qualquer pessoa aqui e aqui. A equipe que organizou este cinedebate agradece profundamente ao professor Héctor pela sua contribuição valiosa a este evento, por meios destes dois vídeos.

Um outro vídeo que foi apresentado antes da exibição do filme é o depoimento de Pepe Mujica para a obra cinematográfica “Human” e que está disponível para ser assistido aqui. A professora Samara também lembrou aos presentes que o apresentador de televisão Pedro Bial gravou uma boa entrevista com Pepe Mujica que pode ser assistida aqui.

As sessões de cinedebates são regularmente organizadas por bolsistas e ex-bolsistas de iniciação científica e de extensão no âmbito do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” do IFSP-Caraguatatuba que é coordenado pelo professor Ricardo Plaza. Seu objetivo principal é realizar reflexões críticas sobre história, ciência e cultura, envolvendo filmes e documentários selecionados com este propósito, bem como ampliar o repertório cultural e cinematográfico por parte dos alunos e do público em geral. Todas as sessões de cinedebates são gratuitas e abertas para quaisquer interessados, tanto da comunidade interna, quanto da comunidade externa ao IFSP. Não é necessário fazer inscrição prévia: basta estar presente no auditório no início da exibição do filme. Professores e gestores de escolas públicas que pretendem que alunos de suas instituições de ensino participem de atividades deste gênero podem procurar o professor Ricardo Plaza para juntos organizarem os detalhes.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira