Notícia

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Cinedebate abordou o filme “Estrelas além do Tempo”

Publicado em 18 março 2019

No dia 16 de março de 2019, sábado, a partir das 10h da manhã, no auditório do Câmpus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), ocorreu a exibição – seguida pelo posterior debate – do filme “Estrelas além do Tempo”. A organização deste cinedebate contou com o apoio do ex-bolsista do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” Kaua Estevam Cardoso de Freitas (que atualmente é bolsista de iniciação científica com bolsa da FAPESP) e do ex-bolsista de iniciação científica (com bolsa PIBIC do CNPq) João Pereira Neto, ambos orientados pelo professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira, docente do IFSP-Caraguatatuba.

As professoras Ticiana Couto Roquejani e Samara Salamene, ambas docentes do IFSP-Caraguatatuba, estiveram presentes e juntamente com o professor Ricardo Plaza colaboraram com reflexões e questionamentos após a exibição do filme.

Este cinedebate contou com a participação de membros da comunidade externa ao IFSP, como foi o caso de alunas do curso de pedagogia do Centro Universitário Módulo, de Caraguatatuba. Além disso, este cinedebate contou também com a presença de alunos de diferentes cursos do IFSP-Caraguatatuba, em especial dos cursos de Licenciatura em Física, Licenciatura em Matemática e PROEJA.

O filme “Estrelas além do tempo” (o título original em inglês é “Hidden Figures”; uma possível tradução deste título poderia ser “Figuras escondidas”, título este que teria uma relação mais efetiva e real com as histórias contadas na tela) foi dirigido por Theodore Melfi e lançado em 2016. O filme basicamente conta o trabalho realizado por três cientistas negras (interpretadas pelas atrizes Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe) no esforço da NASA na corrida espacial dos Estados Unidos contra a União Soviética, no início dos anos 1960.

O filme aborda os dois tipos de preconceitos sofridos pelas cientistas Mary Jackson, Katherine Johnson e Dorothy Vaughan, que são as protagonistas principais desta obra: preconceito de gênero e preconceito racial. O artigo “A história das ‘Estrelas além do tempo’ reais da NASA - Mulheres negras trabalhando nos bastidores como ‘computadores humanos’ foram vitais para a Corrida Espacial” publicado pela revista “Scientific American Brasil” explica um pouco da história real destas três cientistas da NASA e está disponível para ser lido gratuitamente aqui.."

O filme aborda com bastante destaque a situação de segregação racial existente em diversas regiões dos Estados Unidos no início dos anos 1960 e também o movimento pelos direitos civis que estava tornando-se forte na época, um movimento político que basicamente lutou pelo fim das leis de segregação racial nos Estados Unidos e que teve Martin Luther King Jr. como um de seus maiores líderes.

Um outro tema abordado pelo filme foi a substituição que ocorreu na época da equipe de mulheres calculadoras-computadoras (que basicamente faziam uma longa série de operações e contas matemáticas) por computadores de grande porte da IBM, mudança esta que não intimidou Dorothy Vaughan: ela, que era a líder de uma equipe de mulheres computadoras afro-americanas, passou a estudar programação (em especial a linguagem de programação FORTRAN) para conseguir se adaptar a esta inovação e incentivou sua equipe a fazer o mesmo, de modo a não se tornarem obsoletas com a transformação tecnológica que estava em curso e manterem o emprego que tinham.

Uma boa análise desta obra cinematográfica do ponto de vista educacional pode ser lida no artigo “O que o filme “Estrelas Além do Tempo” tem a ver com a sua aula” disponível para ser lido aqui.

As sessões de cinedebates são regularmente organizadas por bolsistas e ex-bolsistas de iniciação científica e de extensão no âmbito do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” do IFSP-Caraguatatuba que é coordenado pelo professor Ricardo Plaza. Seu objetivo principal é realizar reflexões críticas sobre história, ciência e cultura, envolvendo filmes e documentários selecionados com este propósito, bem como ampliar o repertório cultural e cinematográfico por parte dos alunos e do público em geral. Todas as sessões de cinedebates são gratuitas e abertas para quaisquer interessados, tanto da comunidade interna, quanto da comunidade externa ao IFSP. Não é necessário fazer inscrição prévia: basta estar presente no auditório no início da exibição do filme. Professores e gestores de escolas públicas que pretendem que alunos de suas instituições de ensino participem de atividades deste gênero podem procurar o professor Ricardo Plaza para juntos organizarem os detalhes.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira